08/09/2015 - Desfile de 7 de setembro é importante para socialização de crianças, afirma diretora de escola

A diretora da Escola Estadual Souza Bandeira, irmã Lucimar Martins, reconhece como fundamental o papel social fruto das comemorações no dia 7 de setembro: para  a educadora, os preparativos, ensaios e a apresentação final possuem a capacidade de inserir crianças em discussões reflexivas sobre cidadania. O evento, realizado nesta segunda-feira (07), contou, diretamente, com cerca de mil pessoas, entre civis e militares, desfilando.  

“Ajuda às crianças na socialização. O que eles fazem na escola e o que eles fazem aqui fora. para estar aqui também tem uma discussão sobre a relação com a sociedade, a escola, o crescimento e o desenvolvimento deles, participação nos atos comunitários”, disse Lucimar Martins.

Segundo a diretora, os dias que antecedem o desfile são marcados por nervosismo. “Eles estão na escola desde ontem, levantaram três horas da manhã para estarem aqui às sete horas. Eles ensaiam três vezes por semana. Nós temos um professor que é pago pelo estado”, afirmou.

Os adolescentes foram os primeiros a se apresentarem. Inicialmente o planejamento previa que os militares fossem os primeiros na Avenida Historiador Rubens de Mendonça.   Conforme o Coronel Sampaio “o tempo do adolescentes e da criança não é o mesmo do militar por isso eles não conseguiram chegar no mesmo horário, mas isso não é o mais importante, o mais importante é que o desfile começou e o público está gostando, como planejado”.

Participaram do “7 de setembro” figuras como o governador Pedro Taques (PSDB) e outros importantes políticos de Mato Grosso. O movimento Muda Brasil também esteve nas ocasiões, clamando por mudanças em busca de democracia.

A Independência do Brasil, 7 de setembro de 1822, é um acontecimentos mais importantes de nosso país, marcando “o fim do domínio português e a conquista da autonomia política”. Os primeiros países que reconheceram a independência do Brasil foram os Estados Unidos e o México.

 

 

Da Redação - Arthur Santos da Silva

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário