08/09/2015 - Desfile reúne Dilma e Temer; protesto mobiliza ativistas

O desfile oficial de 7 de Setembro em Brasília atraiu na manhã desta segunda-feira cerca de 25 mil pessoas às arquibancadas montadas na Esplanada dos Ministérios, informou a Polícia Militar do Distrito Federal ao final da cerimônia (no início do desfile, eram 20 mil, segundo a PM).

A presidente Dilma Rousseff, que assistiu ao desfile do palanque oficial, ficou isolada de manifestantes, que fizeram um protesto fora da área isolada. Toda a região nas proximidades da região do desfile foi cercada com tapumes de alumínio, que depois de instalados viraram alvos de pichações. A área cercada, de aproximadamente dois quilômetros, terminava junto às arquibancadas, no trecho onde ocorreu o desfile oficial. Esse isolamento é o mesmo adotado desde 2013, segundo a Secretaria de Imprensa da Presidência. Todas as pessoas que assistiram ao desfile tiveram de passar por revista policial.

Após o desfile oficial, manifestantes pró-Dilma que participaram do ato Grito dos Excluídos fizeram uma caminhada até o Congresso Nacional. O grupo se diz a favor da presidente, mas contra o ajuste fiscal. Segundo a organização, o ato mobilizou 1,5 mil manifestantes. A PM não fez estimativa.

Às 9h14, Dilma autorizou o comandante militar do Planalto a dar início ao desfile cívico-militar, comemorativo dos 193 anos da Independência.

Antes, vestida de branco e usando a faixa presidencial verde e amarela, Dilma subiu ao Rolls Royce oficial que, cercado de batedores, e percorreu cerca de dois quilômetros para se deslocar até o palanque das autoridades.

No palanque, Dilma foi recebida pelo vice-presidente Michel Temer, pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB) e pelo ministro da Defesa, Jaques Wagner.

Ela assistiu ao desfile ao lado de Rollemberg e de Temer, que neste domingo (6) divulgou nota negando participar de "conspiração" contra a presidente e dizendo que a 'intriga' agrava a crise político-econômica.

Ministros

Vários ministros compareceram, entre os quais José Eduardo Cardozo (Justiça), Aloizio Mercadante (Casa Civil), Miguel Rosseto (Secretaria Geral), Edinho Silva (Comunicação Social), Gilberto Kassab (Cidades), Tereza Campello (Desenvolvimento Social), Luís Inácio Adams (Advocacia Geral da União), Pepe Vargas (Direitos Humanos), Renato Janine Ribeiro (Educação), Ricardo Berzoini (Comunicações), Carlos Gabas (Previdencia) e Mauro Vieira (Itamaraty).

PMDB

Mas, dos seis ministros do PMDB, principal parceiro político do governo, compareceu somente Helder Barbalho, da Pesca.

A maioria dos demais argumentou com compromissos pessoais para não comparecer.

A assessoria do ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha (PMDB-RS), informou que ele avisou a presidente com antecedência de que não estaria presente porque pretendia passar o fim de semana com a filha de poucos meses, antes de partir para uma viagem à Rússia.

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB-AM), está em Manaus (AM), onde cumprirá agenda oficial nesta terça (8). A assessoria não informou o motivo da ausência dele ao desfile.

A ministra Kátia Abreu (PMDB-GO), da Agricultura, não compareceu porque foi ao casamento do irmão, informou a assessoria da pasta.

O ministro Henrique Alves (PMDB-RN), do Turismo, viajou na última quinta-feira (3) em missão oficial para a Itália, a fim de representar o Brasil na feira ExpoMilão 2015.

A assessoria do ministro dos Portos, Edinho Araújo, informou que ele não compareceu ao desfile porque tinha compromissos previamente programados para o feriado em São José do Rio Preto, onde mora. Ele viajou na sexta-feira (4), para agendas de trabalho e compromissos pessoais, e retorna a Brasília nesta terça (8).

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que se reaproximou do governo, e o da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que se diz de "oposição", também não compareceram.

Manifestantes

Antes do início do desfile, um grupo, das arquibancadas, entoou o grito "Dilma, Dilma, Dilma". Fora da área oficial do desfile, manifestantes em protesto contra o governo inflaram um boneco gigante de Dilma e outro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o chamado "Pixuleco".

Às 10h42, Dilma começou a deixar o palanque oficial, pouco antes do início da apresentação da Esquadrilha da Fumaça, da Aeronáutica. Ao deixar o palanque, a presidente cumprimentou autoridades e posou para fotos com pessoas que assistiam ao desfile das arquibancadas.

 

 

LAÍS ALEGRETTI E DÉBORA CRUZ 
G1

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário