08/10/2014 - "Agora ele é “vidraça”, avalia herdeira política de Riva na Assembleia sobre Pedro Taques

“Agora ele virou vidraça”. Esse foi o alerta feito pela deputada eleita Janaína Riva (PSD) ao governador eleito de Mato Grosso, Pedro Taques (PDT), o qual tem avisado que fará uma devassa nas gestões anteriores para punir quem violou a lei. Para ela, será “muito difícil” ao novo chefe do Executivo estadual manter o discurso moralista quando subir ao cargo, e a social democrata afirma que fará uma oposição fiscalizadora sobre o mandato do novo chefe do Executivo estadual.

 

Janaína é filha de José Riva (PSD), deputado estadual há mais de 20 anos e atual presidente da Casa de Leis de Mato Grosso, onde sempre adotou uma posição de cooperar com o governador Silval Barbosa (PMDB), gestão que teve Janete Riva (PSD) como secretária de Estado de Cultura.

Em contraposição a toda carreira política do pai, ela assumirá o cargo de deputada como oposição a Pedro Taques. José Riva chegou a ser candidato a governador, mas teve o registro cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tendo sido substituído pela esposa, que ficou em terceiro lugar na disputa.

Enquanto isso, o líder pedetista passa de senador da oposição para a situação em Mato Grosso com a promessa de “não jogar a poeira debaixo do tapete”. Contudo, maioria dos deputados eleitos pertence a partidos ligados a atual gestão e, mesmo após acertos com a nova administração, a “nova oposição” deverá ter força para fiscalizar o governo de Pedro Taques.

 

“Não sei se ele vai encontrar alguma coisa do passado, mas vou ajudar a ele encontrar a poeira do governo dele”, afirmou Janaína. E ela destaca que além de fazer a devassa, Taques terá de se desdobrar para impedir problemas dentro do próprio governo. “É muito difícil você fazer um mandato sem enfrentar problemas ou divergências. Isso foi constante nas gestões passadas e acredito que vai acontecer na dele também”, pontuou.

A social democrata ainda lembra que Pedro Taques nunca ocupou um cargo do Executivo e que não conhece o tamanho dos problemas a serem enfrentados. “Vai ser difícil ele manter essa postura dele no governo. Eles agora vão viver uma situação diferente. Agora, o poder de fiscalizar é nosso, dos deputados. Ele agora é Executor. Agora ele é vidraça”, avisou, em entrevista ao Olhar Direto.

Por outro lado, ela afirma que será uma “oposição coerente”, e que ajudará o novo governador a levar adiante projetos benéficos a população. “Vou cobrar todos os compromissos de campanha dele. Mas vou ajudar quando for bom para Mato Grosso. Ele prometeu, por exemplo, um novo hospital maior que o do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), por R$ 45 milhões (metade do preço do novo Pronto-Socorro). Se ele buscar recursos e gastar R$ 300 milhões na nova obra eu vou aprovar isso”, explicou.

Ela ainda ressaltou que, pessoalmente, não tem nada contra o governador eleito Pedro Taques e negou preparar ataques contra ele. “Vou fiscalizar o mandato dele, mas vou ser uma oposição coerente”, declarou. 

 

 

Da Redação - Jardel P. Arruda

Comentários

Data: 08/10/2014

De: Kara

Assunto: opiniao

Ela vai um dia na Assembleia e o resto fica no apartamento em Copacabana participando pelo Facebook...

Data: 08/10/2014

De: Indio Tupiniquim

Assunto: F


O RIVA já morreu?

herdeira?

Novo comentário