09/01/2014 - Descaso com obras do Hospital Regional do Norte Araguaia revolta até a concorrência

Gostem ou não gostem do rótulo, mas o Norte Araguaia, uma das mais promissoras regiões do Brasil, continua sendo sim uma região Esquecida, por grande parte dos políticos de Mato Grosso, a região anda e cresce graças a fé de seu povo ordeiro e trabalhador, e programas do Governo Federal.

 

Um exemplo do descaso público da maioria dos políticos do estado de Mato Grosso é a construção das obras do hospital regional de Porto Alegre do Norte, inicialmente, a unidade seria erguida no formato PPP (Parceria Público Privada).

 

A decepção com o descaso revolta pessoas das mais humildes até profissionais como o médico Silvio César Coelho Rogowski, clinico geral com especialidade em medicina do trabalho que cresceu na região mais precisamente em Vila Rica, e hoje atua em Porto Alegre do Norte atendendo pacientes de toda a região.

 

Rogowski podia estar achando bom o atraso das obras, afinal o hospital publico seria seu principal concorrente, mas não está, para ele soa como deboche, poder encontrar apenas a placa de fundação do hospital, depois de tanto alarde feito por grande parte do políticos estaduais durante a maior feira do agronegócio regional a Dinâmica.

 

O médico também diz ser constrangedor para um profissional, ficar se humilhando para que outro estado da federação, no caso o Tocantins possa receber os pacientes com maior gravidade da região, “o hospital regional è uma necessidade urgentíssima” afirmou.

 

Segundo ele, no Norte Araguaia, o problema da saúde pública não é a falta de médicos, e sim a falta de infraestrutura, nas grandes cidades tem os hospitais de referência, porem é desumano entender que os nossos ficam em Cuiabá a 1300 km de distância, por isso existe a urgência da construção do hospital regional, já que nossa região cresce e a população aumenta todos os dias, disse Rogowski ao Jornal da Noticia.

 

O médico desabafou, ao dizer “sai para estudar, abandonei minha família, me formei, voltei porque amo a região, amo as pessoas que aqui estão, e vejo que os políticos muito pouco fazem em décadas a infraestrutura não mudou nada”, isso dói, veja bem, meu pai precisou de uma cirurgia de urgência e foi pra Palmas, capital do Tocantins, de avião, pago por mim, porque eu tenho condições mas e quem não tem condições?

 

Silvio César explicou que os políticos estaduais não dão a importância como dão por exemplo para a copa, e que a saúde deveria assim como outras questões tratadas com a mesma urgência, não adianta de jogo se o povo ta morrendo por falta de estrutura, e finalizou dizendo,  para a população e os meus amigos digo que nós médicos da região estamos fazendo o melhor que podemos, porém só podemos contar além disso, com uma força maior... Então, orem,rezem... finalizou.

 Em julho de 2012, o Governo do Estado chegou a publicar sem êxito o edital de manifestação de interesse para identificar possíveis investidores, acuado pelas investidas do deputado estadual Baiano Filho (PMDB)  em defesa da obra, Silval assumiu em abril de 2013  a construção com recursos próprios, e desde então, a Secretaria de Estado de Cidades (SECID) trabalhava na análise e revisão dos projetos.

 

No dia 21.11, com receio de ser a primeira vitima política fatal do prometido hospital, Baiano Filho (PMDB) repassou pessoalmente à Secretaria de Estado de Saúde (SES) os projetos para elaboração do edital de licitação do Hospital Regional de Porto Alegre do Norte.

 

O compromisso assumido por Silval com os prefeitos do Norte Araguaia é de que as licitações seriam lançadas ainda em 2013, fato que segundo informações levantadas não ocorreu.

 

A unidade hospitalar está estimada em R$ 21 milhões e será dividida em quatro alas, com capacidade para 109 leitos e possibilidade de expansão para até 250 quartos. O hospital é um compromisso de Silval assumido com a região Norte Araguaia desde 2010.

 

Jornal da Notícia 

Comentários

Data: 09/01/2014

De: Sônia

Assunto: Hospital Regional de P.A.N

Eh! Lastimável, que vergonha!...Se não votamos não podemos fazer um concurso público, faculdade...Mas se adoecermos, nosso comprovante de votação não vale de nada. Sinto vergonha em ter que escolher um governante, agente não sabe quem fala sério.

Novo comentário