09/02/2016 - Ex-obesa perde 52 kg e vira rainha de bateria: 'Riam de mim e sentiam pena'

09/02/2016 - Ex-obesa perde 52 kg e vira rainha de bateria: 'Riam de mim e sentiam pena'

Quem vê Sandy Salum brilhando à frente da bateria das escolas Balaku Blaku e Grande Família - ambas de Manaus, no Amazonas -, com um corpão e exalando autoestima, não imagina que há sete anos ela sofria preconceito por ser obesa e nem imaginava ser eleita a Rainha dos Sambistas do Amazonas 2016.
 
Aos 34 anos e mãe de dois filhos – um de 12 anos e outro de 8 -, Sandy tem a barriga trincada, as pernas e braços musculosos e o bumbum na nuca, tudo muito bem distribuído em seus 66kg. Mas ela já chegou a pesar 110kg, antes de fazer uma cirurgia bariátrica em 2009, mudar seus hábitos alimentares e começar a malhar. “Perdi ao total 52 quilos. Após cinco anos da cirurgia, fiz também a reparadora nos seios e abdômen (para retirada do excesso de pele). Mas não sou escrava da balança, nem da alimentação”, conta ela.
 
‘Faziam piadas e cheguei a perder emprego por ser obesa’

Sandy decidiu mudar de vida por questões de saúde, estética e autoestima. “Não aguentava ficar por mais que 20 minutos em pé sem sentir dores. Sofria muito preconceito também. Faziam piadas, perdi emprego, quando entalava na roleta as pessoas riam, quebrava cadeiras e as pessoas sentiam pena. Sofri mais preconceito por ser obesa do que por ser negra”, lembra ela.
 
“Quando eu era fisioterapeuta e trabalhava de branco, me chamavam de Doutora lorca (personagem de Fabiana Karla no ‘Zorra Total’, que receitava dietas de ‘engorda’). Amigos do meu ex-marido faziam piadas. Eu até brincava que um dia eles ia me chamar de Beyoncé (risos)”, completa, sem perder o bom humor.
 
‘Meu ex falou: ‘quem vai querer você?’

Sandy foi casada com o pai dos seus filhos, de quem se divorciou há seis anos, pouco tempo antes de mudar de vida.

“As pessoas diziam que não sabiam como ele poderia estar comigo e que ele era infiel por causa da minha gordura. Quando nos separamos, falei que um dia teria alguém que iria me respeitar e gostar de mim de verdade. Ele riu e falou: ‘quem vai querer você? Gorda com dois filhos e mãe solteira?’. Isso me doeu muito, mas dei a volta por cima”.
 
“Sem definição de status” quando perguntada se está solteira, Sandy é muito assediada pelos homens atualmente. “Acho que é um fetiche para os homens ver uma mulher sambando com roupas sensuais na frente da bateria”.

 

‘Jamais pensei que conseguiria realizar o sonho de ser rainha’

Sandy sempre gostou de carnaval, mas nunca imaginava virar rainha de bateria. “Jamais pensei que conseguiria realizar esse sonho”, diz ela, que entrou no mundo do carnaval em 2012. “Estava passando na frente de uma agremiação e fui convidada por um dos diretores a participar de um concurso de rainha de bateria. Fiquei morrendo de medo, pois tinha sequelas da obesidade e para uma pessoa que eu era, ser julgada novamente e dessa vez com o corpo exposto era algo muito forte, mas fui e saí vitoriosa”.
 
‘Muitas pessoas começaram a se inspirar na minha história’

De vítima de preconceito, a exemplo de vida, Sandy acabou abrindo um novo negócio por conta disso, o ‘Comidinhas da Sandy’. “Depois que entrei no carnaval, não acreditavam que eu fui obesa e queriam saber o que comia. Comecei a postar na internet e muitas pessoas começaram a se inspirar na minha história de vida. Passei por um momento de dificuldades e decidi vender marmitinhas e no outro dia já tinha encomendas”, conta ela, que se dedica 100% ao negócio atualmente.

Posaria nua?

Sandy brinca se está feliz com o corpo. “Acho que nenhuma mulher está (risos). Reclamo muito do meu quadril por achar muito estreito, mas quando vejo como
eu era, paro de reclamar". Questionada se posaria nua, a rainha de bateria é direta: “Jamais! No máximo um ensaio sensual”.

 

 

 

 

Ego via Mídia News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário