09/05/2011 - 08h:40 Ex-guerrilheiro do Araguaia, Genoino ganha condecoração da Defesa

Ministro Nelson Jobim entregou Medalha da Vitória ao ex-deputado petista, seu assessor especial, pelos serviços prestados à pasta

O Ministério da Defesa condecorou, na manhã deste domingo, no Rio de Janeiro, o ex-deputado federal José Genoino (PT-SP), que integrou organizações da luta armada na ditadura militar (1964-1985) e participou da Guerrilha do Araguaia (1972-1974), movimento rural do PC do B.

A Medalha da Vitória foi entregue pelo próprio titular da pasta, Nelson Jobim, de quem Genoino é hoje assessor especial. "Estamos olhando para a frente", disse o ministro, segundo quem o petista é o primeiro integrante da guerrilha do Araguaia a ter a medalha. Ele negou ter havido críticas de militares à condecoração. A cerimônia homenageou 284 pessoas, no Monumento dos Pracinhas, no Aterro do Flamengo.

Genoino foi preso em 1972, na Operação Papagaio, primeira campanha do Exército na região, quando 13 guerrilheiros foram mortos e sete detidos. O governo brasileiro responde a ação na OEA (Organização dos Estados Americanos) sob a acusação de o Exército Brasileiro ter detido arbitrariamente, torturado, executado e ocultado os corpos de 70 pessoas, entre guerrilheiros e camponeses. A questão é sensível em setores do oficialato militar, onde ainda há na ativa ex-combatentes da guerrilha comunista.

A Medalha da Vitória foi criada em 2004, em reconhecimento à atuação do Brasil em defesa da liberdade e da paz mundial, em especial na 2ª Guerra Mundial.

A condecoração agracia pessoas que tenham contribuído para a difusão dos feitos da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial, participado de conflitos internacionais na defesa do País, tenham integrado missões de paz, prestado serviços relevantes ou apoiado o Ministério da Defesa.

Jobim e Genoino defenderam a criação da Comissão da Verdade, projeto do governo destinado a esclarecer violações de direitos humanos ocorridas durante o regime militar. Para o ministro, a comissão não fará "retaliação".

iG Rio de Janeiro

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário