09/06/2016 - Quebra na safra faz preço do feijão carioca disparar

09/06/2016 - Quebra na safra faz preço do feijão carioca disparar

Ingrediente indispensável na mesa do brasileiro, o feijão têm apresentando alta nos valores das sacas e com isso, o preço nas gôndolas dos supermercados também tiveram acréscimos.

 

O vilão para estados produtores como Mato Grosso foi a falta de chuva, especialmente na região norte, reduzindo drasticamente a produtividade da lavoura em até 50%. 

 

Na cidade de Sorriso, por exemplo, a expectativa seria de 30 sacas por hectare, mas devido as questões climáticas essa expectativa teve queda e chegando a apenas 15 sacas por hectare. 

 

Apesar da pouca oferta e alta dos preços dentro de supermercados, isso não deverá representar lucro para os produtores. De acordo com o Instituto Brasileiro do Feijão e Pulses em diversas capitais, o quilo já chegou ou até ultrapassou os R$ 10,00 reais.

 

Como forma de protesto, os mato-grossenses estão divulgando através de redes sociais uma espécie de boicote ao feijão, com o intuito de controlar a oferta, pela falta de demanda.

 

O feijão carioca abriu o mês de maio custando R$ 247,50 a saca de 60 quilos. Já no dia 30 de maio, o valor foi cotado a R$ 400,00 a saca, o que representa um aumento de 70%.

 

Em Mato Grosso, o preço médio no começo de junho estava acima de R$ 300,00 a saca de 60 quilos.

 

Em Mato Grosso, a área total plantada de feijão segunda safra é de pouco mais de 173 mil hectares, cerca de 13% menor em relação ao último levantamento, que foi de 199 mil hectares. Entretanto, a maior parte desse feijão é o caupi.  

 

A produção total de feijão segunda safra é de 236 mil toneladas, sendo que destes, 186 mil toneladas são de feijão caupi.

 

 

 

MT Via Radio