09/07/2014 - Funcionário é preso e confessa assassinato de ex-secretário

O funcionário da fazenda Marazul, Anastácio Marafon, de 53 anos, confessou na madrugada de hoje ter sido o autor do assassinato do ex-secretário de Infraestrutura de Mato Grosso, Vilceu Marchetti, 60 anos. O crime ocorreu na noite de ontem, na sede da propriedade do ex-secretário, localizada entre os municípios de Santo Antonio do Leverger e Barão de Melgaço, no Pantanal Matogrossense.

De acordo com as informações, a prisão do funcionário ocorreu na madrugada de hoje, quando policiais ainda estavam na sede da fazenda realizando os trabalhos de perícia e investigação do crime. Após ser interrogado, ele revelou ter matado o patrão com três tiros - dois na cabeça e um no peito - quando o mesmo estava deitado de pijama em sua quarto assistindo TV e jogou a arma no rio que passa nos fundos da propriedade.

Os motivos para o crime são de vingança. O funcionário que havia começado a trabalhar recentemente na fazenda contou que, mais cedo, o ex-secretário havia "passado a mão nas nádegas" de sua esposa e também a chamado de "gostosa e deliciosa". Segundo ele, o crime foi realizado para preservar sua honra e dignidade masculina.

A DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa) e a Secretaria de Segurança Pública devem se pronunciar oficialmente sobre o caso nesta quarta-feira. Vilceu Marchetti foi assassinado nesta segunda-feira, por volta das 20h00, com dois tiros na cabeça quando estava deitado assistindo televisão.

Ele foi encontrado por um vizinho que ouviu os disparos, mas quando chegou ao local não encontrou nenhum vestígio da ação criminosa. Inicialmente, existia a suspeita de que o crime teria sido uma queima de arquivo, mas diante da prisão e confissão do caseiro ficou comprovado de que foi motivo banal e passional diante das declarações do funcionário.

O corpo de Vilceu Marchetti será velado e sepultado na cidade de Primavera do Leste. O prefeito Érico Piana já decretou luto por três dias.

DENÚNCIAS

O ex-secretário deixou o Governo em 2010 após integrar o primeiro escalão desde o ano de 2005, na gestão do ex-governador Blairo Maggi. Foi também prefeito de Primavera do Leste e presidente da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM).

Vilceu deixou o primeiro escalão após ser denunciado pelo Minsitério Pùblico de fazer parte de um esquema que teria desviado R$ 44 milhões dos cofres públicos após compra de máquinas superfaturadas. Na mesma denúncia, foram incluídos os ex-secretários de Administração, Geraldo Aparecido de Vitto Júnior, e de Casa Civil, Copa e Fazenda, Éder Moraes Dias, que está preso no complexo penitenciário da Papuda em Brasília (DF).

Neste ano, ele foi alvo das investigações na Operação Ararath. No dia 20 de maio, sua residência foi ‘visitada’ por policiais federais, durante a deflagração da 5ª fase da operação.

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário