09/09/2014 - CANARANA: Servidores públicos são afastados do cargo após prisão em flagrante por crime de peculato

Os servidores públicos da Prefeitura Municipal de Canarana, Valderlan Cassiano Sobrinho e Sadi Antônio Turra, presos em flagrante na última sexta-feira (05.09), suspeitos de crime de peculato, foram afastados dos cargos públicos que exerciam junto ao município. Eles e o advogado Luiz Aldani Nardão são acusados de usarem uma retroescavadeira doada pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário para realizar obra em área particular.

Os três envolvidos foram presos em flagrantes mas foram liberados no último sábado (06.09), pelo juiz André Barbosa Guanaes Simões, mediante pagamento de fiança. O chefe de obras da Secretaria de Obras do Município, Valderlan Cassiano, efetuou o pagamento de cinco salários mínimos, já ao secretário de obras do município, Sadi Antônio e ao advogado Luiz Nardão foram arbitrados 20 salários mínimos.

A denúncia do uso ilegal do maquinário público adquirido através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), e da apropriação do combustível, foi feita ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Promotoria de Justiça de Canarana. O fato foi comunicado pelo promotor de Justiça, Jorge Paulo Damante Pereira, à Polícia Civil, que realizou a diligência.

Ao todo, seis pessoas foram interrogadas pelo delegado João Biffe Junior, mas apenas três foram indiciadas pelo envolvimento no crime. No momento em que os policiais chegaram no local, a máquina distribuía cascalho no terreno de propriedade do advogado, Luiz Nardão. Ainda de acordo com as diligências policiais, um caminhão da prefeitura já teria fornecido nove carregamentos de cascalho para realização de aterro no local.

O advogado chegou a apresentar ao delegado uma guia de arrecadação municipal, pago minutos antes de sua prisão, no valor de R$ 580. O objetivo do indiciado era comprovar a legalidade da utilização da retroescavadeira. Portanto, a prestação de serviços na propriedade do advogado teria iniciado na terça-feira (02.09), ou seja, três dias antes da emissão do documento.

 

 

Escrito por ANDRÉIA MEDEIROS / MPE/MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário