09/09/2014 - Ludio não critica mais a saúde do governo Silval e trata a firmar os próprios compromissos de gestão

Embora a lua de mel do candidato ao governo do Estado, ex-vereador Lúdio Mendes Cabral (PT), com o governador Silval Barbosa (PMDB) esteja claramente  abalada, as críticas veladas cessaram. Porém, Lúdio tratou de marcar posição, principalmente na área de saúde, para assumir seus próprios compromissos.  
 
As duas principais diferenças prometidas por Mendes Cabral são o fortalecimento dos hospitais regionais e o fim dos contratos com as Organizações Sociais de Saúde (OSS). Cabral pretende levar um hospital regional para Tangará da Serra e a proposta é antiga reivindicação da Comissão Temporária Pró Instalação da unidade, coordenada pela Câmara de Vereadores da cidade.
 
Lúdio argumenta que, além de levar um hospital regional, a ideia é construir uma parceria com a Universidade de Mato Grosso (Unemat) para fazer da unidade um hospital universitário, nos moldes do Hospital Júlio Müller, em Cuiabá, que terá 350 leitos.
 
“O município de Tangará da Serra e região precisam desse hospital regional e isso será uma das nossas prioridades”, afirmou Lúdio, ao assinar um termo de compromisso com a Comissão Temporária, criada no último mês de março. Ele raramente cita Silval Barbosa ao assumir os  compromissos de campanha.
 
Representante da Comissão, o vereador Silvio Sommavilla (PV) afirma que a obra é importante devido à importância da região. Só o município de Tangará possui cerca de 100 mil habitantes, chegando a 180 mil a população do entorno, totalizando mais de 280 mil pessoas que dependem da saúde pública.
 
A construção de um hospital regional em Tangará da Serra, em tese, vai ao encontro também da proposta de Lúdio para descentralização dos serviços públicos. Com isso, a população não terá que viajar longas distâncias em busca de atendimento.
 
Lúdio também irá atrair profissionais especializados para o interior através do programa “Mais Médicos Especialistas”, revitalizará os 55 hospitais municipais em parceria com as prefeituras. Os hospitais regionais de Cáceres e Rondonópolis e também os que serão construídos em Tangará da Serra e Barra do Garças serão no modelo de hospital universitário, além de geridos diretamente pelo Estado sem as Organizações Sociais de Saúde (OSS).
 
Ludio levará o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) a todas as 141 cidades de Mato Grosso, além de revitalizar o Hemocentro, o Hospital Adauto Botelho e a rede de saúde mental. Os servidores da área também serão valorizados com boa remuneração, carreira decente e qualificação permanente, além de concurso público a cada dois anos.
 
Fim das OSS

Lúdio Cabral novamente prometeu encerrar os contratos com as Organizações Sociais de Saúde (OSS) no primeiro semestre de 2015, caso seja eleito. O candidato do PT é contra o sistema e defende a gestão pública da saúde. “Para isso, precisamos demonstrar que a gestão direta feita pelos servidores públicos pode trazer resultado, assim como é necessária uma aproximação com os municípios e o Governo Federal”, disse Mendes Cabral.
 
Para tratar verdadeiramente a saúde como prioridade, Lúdio afirma que precisam ser resgatados o papel e a importância dos servidores para as políticas do setor. Para isso, ele se comprometeu a destinar 90% dos cargos comissionados para os servidores efetivos.  “Temos um quadro qualificado, mas que precisa ter poder e autonomia para fazer o que é necessário”, afirmou o candidato.

 

 

Da Redação - Ronaldo Pacheco

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário