09/09/2016 - Sócio de João Emanuel relata plano em conjunto com Comando Vermelho para matar juíza Selma

09/09/2016 - Sócio de João Emanuel relata plano em conjunto com Comando Vermelho para matar juíza Selma

Walter Dias Magalhães Junior, nome investigado na Operação Castelo de Areia, relatou a Polícia Civil, durante depoimento, que o ex-vereador João Emanuel Moreira Lima, suposto chefe de uma organização criminosa para a prática de crimes de estelionato, possui um plano para matar a magistrada Selma Rosane Arruda, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá. 

Conforme os autos, João Emanuel teria contatado o Comando Vermelho para que o assassinato seja consumado. “João Emanuel disse que falaria com o detendo Sandro Louco para concretizar o plano de matar a juíza Selma Arruda; que de acordo com o suspeito João Emanuel, Selma Arruda já havia recebido ajuda de seu pai, o ex-juiz Irênio Lima e não poderia estar desta forma a prejudicar os negócios desempenhados por ele”, diz trecho das declarações de Walter.

O relato teria sido feito pelo ex-vereador ao depoente em abril de 2016. Na ocasião, João Emanuel estava muito nervoso.

Walter afirmou ainda que no dia 29 de agosto, quando passou pelo presídio do Carumbé após ser preso, recebeu um recado de que João Emanuel havia mandado um “salve” para o Comando Vermelho.

O caso 

A operação “Castelo de Areia”, foi deflagrada pela Polícia Civil no último dia 26, a para cumprimento de cinco mandados de prisão preventiva, sete buscas e apreensão e uma condução coercitiva. Entre os alvos está o ex-vereador e presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, João Emanuel Moreira Lima, acusado por aplicar golpes com contratos de até R$ 1 bilhão.

“Descobrimos que este grupo oferecia empréstimos a juros baixos, vendendo ‘fumaça’ para estes clientes, dizendo que os juros vinham de bancos do exterior. As vítimas acabavam acreditando, já que a empresa era bem montada. Com as buscas, descobrimos que o prejuízo pode ser imensamente maior que isto”, explicou o Stringuetta, durante entrevista coletiva concedida na data das prisões.

Além de João Emanuel, que está em prisão domiciliar, e Walter Magalhães Junior, também foram detidos o casal Shirlei Matsucka e Marcelo de Melo Costa, Lazaro Roberto Moreira Lima (condução coercitiva) e Evandro José Goulart. 

 

 

 

Da Redação - Arthur Santos da Silva

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário