09/10/2013 - Prefeitura de Cuiabá quer revitalizar Porto com degradação do meio ambiente e desapropriações forçadas

A Prefeitura de Cuiabá já começou os trabalhos para revitalização de toda a orla do Rio Cuiabá no entorno do bairro Porto. E para isso, várias árvores estão sendo derrubadas. Outra situação acerca do novo projeto é quanto aos bares e restaurantes da região, onde alguns proprietários receberam nesta terça-feira (8) uma intimação para deixarem a área em 60 dias.
 
Há 12 anos no local, Eunice Lescano Anastásio é a proprietária do restaurante Só Peixe, ela disse que a Prefeitura não conversou com os proprietários do comércio local para discutir o projeto. 
 
“Existem coisas mais importantes para a Prefeitura investir este recurso como, por exemplo, na revitalização do rio, que hoje é só esgoto, existem estudos que comprovam que não existe mais água limpa neste rio Cuiabá. São mais de 100 canais de esgoto sendo despejados no rio, Mauro Mendes deveria é cuidar disso, pois é uma coisa que afeta a sociedade toda”, criticou Eunice.
 
Desde que foram avisados do projeto, há pelo menos três meses, Eunice e sua família, já entraram na Justiça. “Isso aqui é minha vida, eu e minha família tivemos que vender nossa casa, para investir aqui, nós estamos nos preparando até mesmo para o evento Copa do Mundo. Da noite para o dia, fomos informados que teremos que deixar nosso local de trabalho, porque existe uma verba Federal que a Prefeitura precisa gastar”, desabafou a comerciante.
 
No total são sete quiosque nas margens do Rio Cuiabá. Somente no restaurante Só Peixe é gerado 12 empregos diretos e 15 indiretos.
 
Segundo informações de pessoas que vivem nas redondezas do bairro Porto, três grandes comércios do ramo de restaurantes estão previstos para serem instalados no local. Os valores da concessão para a exploração do comércio, pasmem, pode custar R$ 1 milhão.
 
Outra comerciante que criticou o projeto de revitalização foi a proprietária do restaurante Orla Cuiabana, Marilândia Teixeira da Silva, que recebeu Mauro Mendes e seu secretariado para um almoço na semana passada, onde foi discutido a situação dos restaurantes locais.
 
“Mauro Mendes disse que num período de quatro meses terei que deixar o local e que uma equipe da Secretaria de Fazenda, irá avaliar o valor do meu imóvel. Só quero lembrá-lo que meu estabelecimento gera 50 empregos, assim são 50 famílias atingidas com esta decisão”, disse  
 
Marilândia irá recorrer da decisão caso a oferta da indenização não corresponder o valor do imóvel. “Ele [Mauro Mendes] é o dono do mundo, o que pude fazer eu fiz, agora é esperar”, pontuou. 
 
Quem conhece a região em torno do rio, sabe que no local são encontradas várias espécies de animais, entre eles, o tatu bola, capivara, macacos, cobras e entre outros.
 
Os comerciantes criticam o projeto que, na verdade até agora, não apresentou nenhum ponto de revitalização para a natureza. 
 
Conheça um pouco do projeto
 
As intervenções serão realizadas em um trecho de 1.350 metros de extensão. Através do projeto será possível realizar a reintegração do Rio Cuiabá ao convívio dos munícipes, resgatando e valorizando o patrimônio histórico e cultural presente na região e oferecendo opções gastronômicas, de entretenimento e lazer.
 
No local também deverá ser construído um novo aquário municipal com tecnologia de ponta, onde estarão representadas espécies de três bacias hidrográficas. O projeto contempla ainda a instalação de bares e restaurantes, além de espaços para a prática de esporte e lazer.
 
O projeto Porto Cuiabá, custará R$ 28 milhões e foi aprovado pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente de Mato Grosso (Consema) sem estudo de impacto ambiental. 
 
A Prefeitura pretende entregar a obra antes dos jogos da Copa do Mundo em 2014.

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário