09/10/2013 - Projeto de ferrovia MT/PA será apresentado em Brasília

Audiência com o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, acontece nesta quinta-feira (10), às 10h

 

O projeto da ferrovia que interliga os estados de Mato Grosso e Pará será apresentado nesta quinta-feira (10), em Brasília, às 10h, para o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo.

 

Comitiva composta por deputados federais e estaduais dos dois estados se reúne com o representante do governo federal para mostrar a viabilidade da proposta idealizada pelo deputado estadual José Riva (PSD). O objetivo do encontro é incluir o projeto no Plano Nacional de Viação Ferroviária.

 

No mês de agosto, Riva e comitiva mato-grossense que contou com a participação do governador Silval Barbosa (PMDB) apresentou o projeto ao ministro dos Transportes, César Borges, que solicitou que o mesmo também fosse encaminhado ao presidente da EPL para deliberarem sobre a inclusão no plano ferroviário nacional.

 

Além de Riva, foram convidados para participar da apresentação do projeto de ferrovia ao presidente da EPL, os deputados federais Eliene Lima (PSD), Wellington Fagundes (PR) e Nilson Leitão (PSDB), e os estaduais Márcio Miranda, presidente da Assembleia Legislativa do Pará, Giovanni Queiroz (PDT) e Carlos Batinga (PSC-PB).

 

FERROVIA - O projeto de ferrovia MT/PA foi elaborado no gabinete do deputado Riva, com traçado partindo de Água Boa (MT) até Barcarena, no nordeste paraense. Também é analisada a possibilidade da ferrovia seguir do município mato-grossense até Marabá, no sudeste do Pará. A ligação com o nordeste seria viabilizada com a construção de dois ramais, um até o porto de Vila do Conde (Barcarena) e outro até o porto de Espadarte (em Curuçá/PA), que está em projeto de implantação. Lideranças políticas e empresariais de Sorriso solicitaram a inclusão do município no trajeto da ferrovia por meio de um ramal.

 

Segundo o deputado Riva, Mato Grosso ainda tem muito potencial a ser explorado e com maior investimento em logística, o retorno será imediato. “Além de incluir vasta área disponível para produção, que hoje tem dificuldade de logística, a construção da ferrovia resultará em desafogo aos portos de Santos e Paranaguá, que estão saturados. No Pará, existe uma grande produção de minério, em Mato Grosso há disponibilidade para a expansão da produção de grãos e com este investimento em logística ferroviária será possível dobrar a produção atual”, explicou o parlamentar.

 

Para o parlamentar, Mato Grosso não pode ficar preso a um modelo nacional de ferrovia. “Por isso a importância de um projeto próprio devido a sua dimensão territorial e capacidade de produção”, argumenta.

 

Ao todo, mais de 20 municípios de Mato Grosso e Pará serão beneficiados com o traçado ferroviário de 1,8 mil km, melhorando a qualidade de vida de mais de dois milhões de pessoas.

 

KLEVERSON SOUZA

Assessoria de Gabinete

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário