09/10/2014 - Pelo menos cinco deputados são cotados para disputar presidência da AL

Nos últimos anos, as eleições da mesa diretora da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL-MT) têm sido marcadas pela ausência de uma disputa direta, sendo definidas quase sempre de forma consensual, com o deputado estadual José Riva (PSD) se alternando nos cargos de presidente e 1º secretário. Com o social democrata fora da próxima legislatura, a expectativa de renovação no comando do parlamento estadual é grande. A situação, agora sob coordenação de Pedro Taques (PDT), tem pelo menos 3 nomes sobre a mesa. Pela oposição, Mauro Savi (PR) é o favorito, mas outros deputados correm por fora.

O governador eleito no último dia 05 de outubro garante que não vai interferir no processo, garantindo liberdade de decisão para os 11 deputados estaduais eleitos pela coligação ‘Coragem e Atitude pra Mudar’. Alguns de seus homens de confiança, no entanto, já se articulam nos bastidores para costurar uma chapa.
 
Após a coletiva de imprensa realizada na manhã de terça-feira, 7, todos os deputados estaduais eleitos se reuniram com Taques. A pauta principal era a definição da postura a ser adotada no 2º turno da eleição presidencial, mas a eleição da mesa foi colocada em discussão. De acordo com o que apurou o Olhar Direto três  eleitos manifestaram o desejo de candidatura: Eduardo Botelho (PSB), Guilherme Maluf (PSDB) e Zeca Viana (PDT). Todos os presentes garantiram que não têm intenção de apoiar candidatos de eventuais chapas da oposição.  
 
Estreante, Botelho é aliado de primeira hora do prefeito Mauro Mendes, presidente do PSB em Mato Grosso. A família Maluf vem dando suporte a Taques desde 2010, quando o pedetista se elegeu senador. Esse histórico embasa a candidatura do deputado tucano, que vai para o seu 3º mandato na AL. Zeca Viana, que se reelegeu para o seu 2º mandato, surge como o nome do núcleo duro do governador, coordenado hoje pelo prefeito licenciado de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT).
 
As urnas colocaram as maiores bancadas na oposição. O PR, com 5 deputados, e o PSD, com 4, ainda não iniciaram as conversas e parece desunida. O republicano Mauro Savi é nome do momento, mais votado do pleito, com mais de 55 mil votos, atualmente no comando da 1ª secretaria da Assembleia. Seu primeiro desafio é garantir unidade dentro do PR. Os deputados Wagner Ramos, Emanuel Pinheiro e Nininho não parecem animados com a candidatura do correligionário, defendendo renovação no processo. A tendência é de que esse grupo inicie até mesmo uma conversa com a base governista.
 
O PSD, que elegeu Janaína Riva, Walter Rabello, Pedro Satélite e José Domingos, não colocou nenhum nome na disputa. Uma fonte do partido avaliou que a melhor estratégia no momento é observar a movimentação da base para organizar a oposição, que ainda conta com o PMDB. O partido elegeu três deputados e tem nomes como Romoaldo Junior, que vem presidindo a Casa de Leis nos últimos meses, gabaritaedos para entrar na briga. 

 

 

Da Redação - Raoni Ricci

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário