09/10/2017 - Ladrão de carro é perseguido e preso na Miguel Sutil

09/10/2017 - Ladrão de carro é perseguido e preso na Miguel Sutil

Ladrão ousado tentou furtar um carro, em plena luz do dia, por volta das 12h deste domingo (8), na porta da casa do dono, no bairro Santa Isabel, em Cuiabá, mas acabou sendo perseguido, pela avenida Miguel Sutil, e preso.

O dono do carro, torneiro mecâncio Ezequiel Teixeira de Souza, 37, conta que tinha acabado de chegar da casa da mãe, parou o carro rapidamente e já ia sair para visitar também a sogra, quando viu um homem entrando no carro dele, um Honda Civic dourado, placas HXN 3601 ano 2002, que comprou como segunda opção de transporte da família. “Ando muito de moto na rotina, mas quando saio com mulher ou com ela e os filhos, para mercado ou passeio, o carro é fundamental”, explica. Era Elivan Vieira de Souza, 44.

Quando ele o viu levando o carro, montou na moto e saiu em disparada atrás dele. Duas ruas após a casa, o ladrão bateu o Honda Civic, que já não é novo, no meio fio com toda força mas seguiu adiante mesmo assim. “Foi quando eu dei sorte de me deparar com uma viatura da PM e avisei que aquele cara que ia na frente, a todo vapor, tinha acabado de roubar meu carro. Nisso a polícia foi atrás dele, passou o rádio para pedir reforço e eu também fui”, detalha.

Na avenida Miguel Sutil, o ladrão aumentou a velocidade e bateu novamente o carro. Já ia entar na contramão e, para tentar pará-lo, a PM deu um tiro no pneu do Honda Civic. Mesmo assim, o ladrão insistiu na fuga. Só que quando chegou ao Viaduto do Despraiado, quase em frente ao Parque Mãe Bonifácia, foi fechado por 3 viaturaras.

Os militares o imobilizaram e o deitaram no asfalto, debaixo do sol do meio dia, já que ainda tentava escapar.

Simulou arma

O ladrão, que chegou a colocar a mão embaixo da blusa, para simular que estava armado, foi encaminhado à Central de Flagrantes e o carro devolvido ao dono, por meio de um guincho.

Pelo crime, o ladrão deve responder por tentativa de furto.

Prejuízo

Para o torneiro mecânico, ficou o prejuízo de R$ 5mil. "Essa é a vida do brasileiro", lamenta.

 

 

Keka Werneck, repórter do GD

 
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário