09/10/2017 - Morre aos 107 anos, a mulher mais idosa de Barra do Garças

09/10/2017 - Morre aos 107 anos, a mulher mais idosa de Barra do Garças

Considerada a mãe das mães de Barra do Garças, dona Jovelina foi exemplo de perseverança e de luta pois criou 18 filhos trabalhando como lavadeira de roupas e na roça de sol a sol. Ela se tornou uma atração na cidade nos últimos anos pela longevidade de sua vida. Uma linda história de uma verdadeira guerreira.

 
A cidade de Barra do Garças amanhece neste domingo (8/10) entristecida com a morte da dona-de-casa Jovelina Maria de Jesus, de 107 anos, que iria completar 108 anos no dia 26 de dezembro. Ela faleceu no sábado à noite após ter sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ao longo da semana.

Dona Jovelina estava internada no Pronto Socorro e a família pedia orações pela mulher mais velha de Barra do Garças na rede social que infelizmente não resistiu e faleceu. A dona-de-casa de origem humilde se tornou um símbolo de longevidade na cidade.

Bastante guerreira, ela começou a trabalhar ainda adolescente na roça ajudando a família no plantio e colheita de fumo na cidade de Sincero Dantas, no interior de Bahia. Mulher de fibra e de coragem, dona Jovelina criou 18 filhos dos quais sete estão vivos e agora choram a morte da matriarca da família.

A filha, dona Raimunda, conta que Jovelina chegou em Barra do Garças em 1962 e trabalhou como lavadeira de roupas atendendo milhares pessoas na cidade .

Aqui na Barra, ela sempre morou na rua B do setor São Sebastião 2 atrás do colégio José Ângelo dos Santos. ‘Minha mãe estava lúcida falando e andando com apoio das pessoas até segunda-feira quando então sofreu o derrame.

"Tenho muito orgulho da minha mãe que de forma simples e honesta criou toda a família lavando roupas e trabalhando na roça”, explica dona Raimunda.

A história da mulher mais velha de Barra do Garças fica para ser contada pelos filhos: José Honorato; Raimunda Maria de Jesus; Antônio Honorato; João Honorato;  Mariene de Jesus; José Maria de Jesus; José Renato e a filha de criação Valdelice Maria de Jesus

No cabo da enxada, ela trabalhou plantando e colhendo feijão, capinando terra e no plantio e colheita de fumo. O velório da dona Jovelina acontece na rua B n. 10 São Sebastião2 e sepultamento será às 17 horas no cemitério do Nova Barra.
 
 
 
 
 
Ronaldo Couto / Araguaia Notícia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário