09/11/2012 - Polícia Civil prende líder de quadrilha que atua em vários roubos

 

Uma mulher apontada como principal líder de uma quadrilha que atua em roubos de empresas, caixas eletrônicos e cargas foi presa, na tarde desta quinta-feira (08.11), pela Polícia Judiciária Civil, na Capital. A suspeita Glaúcia da Silva Neves, 30 anos, foi flagrada no Ganha Tempo, por policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF), de Cuiabá. A suspeita que ela estaria tentando confeccionar um documento falso.
 
A acusada tem dois mandados de prisão preventiva em aberto, um pelo Estado de Mato Grosso e outro por Rondônia, onde está envolvida no assalto a caixas eletrônicos. As ordens de prisão foram decretadas na operação “Furacão”, deflagrada em abril deste ano, que resultou na prisão de dez pessoas: cinco em Cuiabá, quatro em Jussara (Goiás) e uma em Gurupi, no Estado de Tocantins.
 
O grupo desarticulado na operação é acusado de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Conforme a delegada que coordenou a operação, Elaine Fernandes da Silva, a quadrilha foi constituída em Mato Grosso para roubos e arrombamentos a caixas eletrônicos em vários estados da federação. “Ao passo que lavava o dinheiro do crime em Mato Grosso, adquirindo veículos e imóveis”, frisou.
 
A presa também está envolvida no roubo da empresa Liberati, ocorrido na madrugada do dia 1 de abril deste ano, em Várzea Grande, quando 10 bandidos invadiram a loja, renderam vigias e roubaram 22 aparelhos de TVs de marcas diversas, entre outros produtos. A Polícia Civil apurou que a carga foi descarregada na casa da suspeita, em Cuiabá.
 
Outro roubo que contou a participação de Glaúcia foi o assalto à padaria “América”, no Jardim das Américas, na Capital. Na manhã do dia 13 de agosto de 2012, a mulher e mais três homens, todos armados com revólver calibre 38, entraram na panificadora e roubaram R$ 18 mil, celulares e pertences de funcionários e clientes.
 
Conforme as investigações, Glaucia além estar ligada diretamente na execução dos crimes, dá suporte logístico aos membros de sua quadrilha. Da quadrilha presa na operação “Furacão”, ela era uma das mulheres que comprava passagens, depositava o dinheiro dos arrombamentos na própria conta corrente e cooptava outras contas bancárias para recolhimento do dinheiro proveniente dos crimes.
 
Para a delegada adjunta da Derf, Elaine Fernandes, a prisão vai contribuir para solucionar outros crimes em investigação na unidade, com reconhecimento da mulher por outras vítimas de roubos.   
 
Assessoria/PJC-MT