09/11/2012 - Empresário que pagou Mensalão a Henry pega mais de 3 anos de prisão

O empresário Rogério Tolentino, dono da corretora Lanza Tolentino e ex-parceiro de Marcos Valério, foi condenado a 3 anos de prisão e acrescenta 110 dias multa. Tolentino foi um dos responsáveis por fraudar empréstimos junto ao Banco BMG para fazer pagamentos dos membros do Partido Progressista (PP), entre eles o deputadp federla Pedro Henry, para votar matérias de interesse do governo federal em 2004.

Inicialmente, o ministro relator da Ação Pensal 470 fixou a pena em 2 anos e 6 meses de prisão. Mas a pena foi aumentada em 1/5, definindo um total de 3 anos de prisão e 110 dias-multa de salários mínimos referentes aos valores de 2004.

O dinheiro utilizado para pagar os parlamentares do PP, entre eles os ex-deputados Pedro Correa e José Janene e o deputado Pedro Henry, foram "lavados" na corretora Bônus Banval antes de ser entregue.

Também foram sentenciados os empresários Criatiano Paz e Ramon Hollerbach por corrupção ativa, peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

A punição a Cristiano Paz somou 25 anos, 11 meses e 20 dias de prisão, mais 996 dias-multa no valor de R$ 2,533 milhões. O réu foi condenado por quatro tipos de crime: corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Ramon Hollerbach foi condenado a 29 anos, 7 meses e 20 dias de prisão, além de 996 dias-multa, que totalizam R$ 2,533 milhões.

Até esta quinta, apenas três dos 25 réus condenados tiveram a pena determinada nas quatro sessões da fase de dosimetria (tamanho das penas) do julgamento. O primeiro foi Marcos Valério, cuja pena soma 40 anos, 2 meses e 10 dias de prisão. Além disso, a multa chega a R$ 2,72 milhões, em valores que ainda serão corrigidos.

 

De Brasília - Vinícius Tavares