09/110/2013 - Riva defende suspensão das sessões da AL até que situação seja resolvida

Deputado propõe prioridade absoluta para resolver problema que prejudica o conjunto da  sociedade mato-grossense

 

O deputado José Riva (PSD) defendeu esta manhã (9), em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, a suspensão das sessões do parlamento até que a situação dos professores da rede estadual seja resolvida. “Não existe nada mais importante que a solução deste impasse que há quase dois meses prejudica milhares de alunos, os pais, professores, servidores e o Estado como um todo”, disse Riva.

 

Depois de conversar com os representantes do Sintep que ocupavam as galerias, o deputado informou que solicitou uma reunião do Colégio de Líderes para o final da tarde de hoje. “O Poder Legislativo deve tomar uma posição definitiva, pois não há como conviver com esta situação onde todos perdem. Vários parlamentares tem buscado o convencimento do governo sobre a necessidade do diálogo e vamos continuar fazendo a nossa parte, se necessário adotando uma posição mais dura”, alertou.

 

Riva destacou que a proposta do Executivo pode sim ser melhorada, antecipando de maio para fevereiro o reajuste previsto. “Esses quatro meses não vão quebrar o Estado, está faltando bom senso para contemplar esta possibilidade. Se o Estado não tem condição de atender em 2013, que comece a implantar as melhorias salariais no início de 2014, mas que traga uma proposta concreta, que envie a proposta a esta Casa para que possamos discutí-la”, disse.

 

Os parlamentares já sugeriram ao governador a formação de uma comissão especial para cobrar dos empresários da telefonia, por exemplo, a quitação dos seus débitos em impostos com o Estado. “A CPI da Telefonia mostrou que há uma dívida de quase R$ 400 milhões, se pagarem uns R$ 30 milhões já seria suficiente para cobrir o reajuste dos professores”, ressaltou Riva.

 

O deputado reafirmou que decisões judiciais não vão acabar com a greve, apenas o diálogo e o entendimento serão capazes de devolver a normalidade à rede pública estadual de ensino. “Não é bom para o Estado que os professores voltem ao trabalho insatisfeitos, sem uma solução para as reivindicações. O governador tem que parar sua agenda e buscar uma solução, e é isso que faremos aqui na Assembléia na próxima semana caso não haja um acordo”, finalizou Riva.

 

EDUARDO RICCI-Assessoria de Gabinete

 

Comentários

Data: 12/10/2013

De: ELEITOR

Assunto: SALÁRIOS

Quantos a greve dos professores sou totalmente a favor, mas quantos as sessões da assembleia pararem sou totalmente contra, só se fosse cortado os salários dos deputados durante o período de paralisação, esse deputadinho só inventa, na verdade ele deveria era estar preso pela centenas de processos, mas aqui é Brasil, e esse individuo pode até se candidatar a gestor do estado, isso é um absurdo....ACORDA MEU POVO.

Novo comentário