09/12/2013 - STJD denuncia Vasco e Atlético-PR e pena pode chegar até 20 mandos de campo49

A Procuradoria Geral do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) denunciou nesta segunda-feira Atlético-PR, Vasco, federações de futebol do Paraná e Santa Catarina, além do árbitro Ricardo Marques Ribeiro como responsáveis pela briga de torcedores ocorrida no último domingo na Arena Joinville.

A punição mais radical foi recomendada ao Atlético-PR. O clube pode receber uma multa de R$ 100 mil e perder até 20 mandos de campo. Já o Vasco terá de encarar uma multa no mesmo valor e a possibilidade de perder até dez mandos.

O árbitro Ricardo Marques Ribeiro pode ser punido com suspensão de 120 dias e multa de R$ 1 mil. Existem ainda as chances de a Arena Joinville ser interditada, assim como multas severas para federações de Paraná e Santa Catarina.

A expectativa é a de que a denúncia seja julgada o quanto antes. Existe a tendência de apressar o caso por conta da péssima repercussão mundial e necessidade de satisfação à opinião pública.

A confusão ocorreu aos 16 minutos do primeiro tempo e fez a partida ser paralisada por mais de uma hora. Filmada pelas emissoras de televisão, a briga envolveu torcedores dos dois lados, em vários pontos do estádio, com imagens fortes de pessoas desacordadas nas arquibancadas. Um helicóptero da Polícia Militar chegou a ser acionado para a retirada de um ferido dentro do gramado.

Os casos mais graves foram encaminhados para o Hospital Municipal São José. Dois torcedores tiveram alta na manhã desta segunda-feira após serem internados com traumatismo craniano por causa de uma briga generalizada na Arena Joinville, em Santa Catarina, durante partida entre Atlético-PR e Vasco. O atleticano Estevão Viana, de 24 anos, e o vascaíno Gabriel Ferreira Vitael, de 20, ficaram em observação pela equipe de neurologia e foram liberados por volta das 10h.

O atleticano William Batista, de 19 anos, também passa bem, apesar de ter sofrido um corte no crânio e um trauma mais severo. A família do torcedor preferiu transferi-lo e mantê-lo em observação em um hospital particular da cidade catarinense. Diego Cordeiro da Costa Ferreira, de 29, também foi encaminhado ao Hospital Municipal São José na tarde de domingo, mas pôde ir para casa horas depois.

 

Do UOL

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário