10/02/2014 - Ginásio fechado incentiva uso de drogas

A indiferença da administração pública municipal em relação ao Ginásio de Esportes Antonio Flandeiro, (antigo Jayme Veríssimo de Campos) no Serrinha, tem causado revolta em muitos moradores daquele setor e mais acentuadamente aos jovens que tinham no local um porto seguro para a prática de esportes e atividades culturais.
 
Fechado há cerca de três anos, o ‘Antonio Flandeiro’ sequer foi citado na peça publicitária “Informativo Barra do Garças”, lançado em dezembro do ano passado pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Barra do Garças para dessa forma sedimentar o despropósito do prefeito Roberto Ângelo Farias que quando esteve candidato prometeu do alto de seu palanque de campanha reformar àquela quadra poliesportiva.
 
Interditado pela pirraça de quem governa para o próprio umbigo, o Ginásio Flandeiro que antes serviam aos jovens do próprio Serrinha como de vilas da adjacência, principalmente à noite, na disputa interbairros de equipes formadas por estudantes e trabalhadores, hoje serve a malocas em seu derredor e como boca de fumo conforme certificam os vizinhosdas ruas que circundam o ginásio.
 
O balconista Danilo Martins, de 23 anos, diz que as equipes que frequentavam o Flandeiro migraram para quadra de escolas em horários restritos que se alternam com as aulas. “Ali tinha equipes desde o juvenil ao adulto e vaga para todo mundo se divertir. O melhor que acontecia eram os torneios interbairros, além e abrigar alunos do programa Segundo Tempo que recebiam alimentação e frutas”, diz ele.
 
Outro fato de que se lembra Danilo era a festa junina de uma creche que ocupava a quadra para marcar a quadrilha. “Não cabia de gente, era um local muito alegre e que tanto servia a nossa comunidade. Diferente de hoje, abandonado e local para usuários de drogas, influenciando para o lado ruim as nossas crianças”, adverte.
 
SUPLENTE PAULÃO
 
Outro morador das proximidades é o terceiro suplente de vereador,Paulo Sérgio dos Santos, mais conhecido como Paulão, dono de muito barulho em campanhas eleitorais de Barra do Garças. Nas últimas eleições, quando dividiu o palanque com Roberto Farias ele saiu das urnas com 523 votos, contudo, não foi eleito.
 
“Ficamos nervosos, quebramos o pau na primeira semana de campanha, mas isso já passou, eu só queria que ele fosse um bom prefeito, a prova está aí”, diz ele referindo-se ao Ginásio Flandeiro e continua: “não sou homem de ficar lamentando, mas sofri muita perseguição na campanha para que eu não fosse eleito, eles ganharam”, ironiza.
 
Estendendo um pouco mais sua crítica corrosiva à gestão municipal, Paulão diz que seu bairro perdeu de uma só vez duas instituições “que faziam tão bem a nossa comunidade, o Ginásio de Esportes e essa policlínica que está fechada, mas nós vamos continuar cobrando do prefeito, todos os dias”. 
 
O Ginásio de Esportes do Serrinha foi construído na gestão do prefeito Paulo Sérgio da Silva (hoje vereador) e inaugurado em 20 de dezembro de 1992 que de cara, levou em sua fachada o nome do então governador Jayme Campos. Com a proibição de nomes de pessoas ainda vivas em platibandas de órgãos públicos, de ruas, entre outros, o nome do senador foi coberto pelo de Antonio Flandeiro. 
 
 
COLABOROU SÉRGIO SANTANA

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário