10/02/2016 - Rios da região Araguaia atraem pelas belezas

10/02/2016 - Rios da região Araguaia atraem pelas belezas

Pelas suas belezas naturais, a região Araguaia inspirou uma música do cantor e compositor Eudes Roberto. Segundo ele, é um lugar de paz que inspira bem estar e energia boa. Os rios Araguaia e Garças, que banham o município de Barra do Garças, a 500 km de Cuiabá, foi destaque da 3ª reportagem da série 'Rios de Mato Grosso', exibida em novembro do ano passado pela TV Centro América afiliada rede Globo.


O Rio Garças é ideal para a prática de canoagem, por dois motivos: o primeiro, o curso é suave. E, segundo, já tem uma descida natural, que não exige tanto esforço de quem está remando.

Nas matas às margens dos rios, é comum vem pássaros e animais, como iguanas. Na área que deveria ser exclusiva da natureza, o ser humano já se instalou, como explica o geólogo Silvio César Oliveira.

 

"A retirada da vegetação das margens, das matas ciliares, deixa os solos expostos à erosão. Eles ficam suscetíveis a serem desgastados. E esse desgaste, esses materiais que são os sedimentos desse desgaste, são levados pro interior do canal, do rio. Lá se depositam em alguns trechos de baixa energia, da água, e afetam a navegabilidade, afetam a ictiofauna, toda a diversidade biológica", afirmou.

Do Rio Garças, sai a água para abastecer 90% da cidade. O restante vem de uma mina da região. O esgoto só volta para o rio depois de tratado.

 

Cachoeiras estão entre os principais atrativos da região Araguaia (Foto: Reprodução/ TVCA)

Cachoeiras estão entre os principais atrativos da região Araguaia (Foto: Reprodução/ TVCA)
 

"Esse rio é aproveitado na cidade desde antes da emancipação do município. Anteriormente, servia como via de transporte. As pessoas navegavam e também traziam mercadorias em canoas. Era o principal meio de transporte que tinha naquela época. Depois, o rio, ele foi servindo pra abastecer a cidade, ele serve também pro lazer da população, infinitos usos assim", informou o biológo Fernando Penteado.

No Porto do Baé, os turistas vão em busca de lazer. Em determinando ponto dessa região, o Rio Garças se encontra e se funde com o Rio Araguaia. Depois, o rio segue até o Rio Tocantins.

O Rio Araguaia faz parte da Bacia do Tocantins, que passa por cinco estados além do Distrito Federal. A área dos dois rios, o Araguaia e o Tocantins, corresponde a 11% do território nacional.

 

Rios Araguaia e Garças se encontram na região de Barra do Garças (Foto: Reprodução/ TVCA)

Rios Araguaia e Garças se encontram na região de Barra do Garças (Foto: Reprodução/ TVCA)
 

À noite, os bares e restaurantes às margens do Rio Araguaia movimentam a cidade. "A gente procura sair um pouco do estresse da cidade grande e aqui é um lugar maravilhoso, as águas quentes. A serra. Então a gente se sente em paz aqui na barra", disse o contador Thiago Campos.

Antes de conhecer os rios, o visitante já conhece a Serra Azul. A serra virou parque estadual em 1994. Em 2014, foi interditada depois que um incêndio destruiu 70% da área. Sem visitantes, o som que prevalece é o das cachoeiras. A água é limpa a ponto de dar para ver o fundo. Antes de desaguar no Araguaia, o Córrego Lagedo passa pelas pedras e forma as quedas d'agua na serra.

O parque deve ser reaberto, mas, mesmo com a interdição, o acesso ainda é possível pela escadaria. Quem sobe os pouco mais de 1000 degraus da escadaria tem essa vista quando chega ao topo da serra azul. De cima, se tem uma vista não só de toda a cidade de Barra do Garças, mas também de Pontal do Araguaia e de Aragarças (GO).

 

Rios atraem visitantes, tanto para banho quanto para a pesca (Foto: Reprodução/ TVCA)

Rios atraem visitantes, tanto para banho quanto para a pesca (Foto: Reprodução/ TVCA)
 

O Córrego Lagedo é responsável por várias das cachoeiras que ficam acessíveis para o público, fora do perímetro interditado. Ao todo, Barra do Garças tem 100 quedas d'água.

"Temos cachoeira, parque. Então, tudo isso nós podemos trazer os nossos filhos, nossa família, incentivar o cuidado com a natureza, o cuidado com a ecologia, o meio ambiente, e isso aí vai trazer sempre cuidados aí com a nossa geração e a geração dos nossos filhos que é cuidar desse patrimônio todo que a gente tem", disse o militar Emerson Deni.

A 63 quilômetros dali, a água que forma os rios também traz outras belezas, conhecidas como Complexo do Bateia. Durante o caminho, tem a cachoeira da Pedra Furada. E ela tem esse nome por um motivo muito simples: a água foi batendo na pedra ao longo dos anos até formar essa cachoeira.

Um lote adquirido pela reforma agrária virou um estabelecimento comercial e garante a renda da família da trabalhadora rural Naíde Gouveia Rodrigues. "A gente tirou esse lote pelo Incra. Fiquei agradecida a Deus por ter me dado esse lote. "A gente ficou embaixo de uma lona por um ano", contou.  Agora, ela investe o que pode no bar pra receber os turistas.

 

 

 

 

Do G1 MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário