10/03/2016 - Pai deixa filha de castigo ajoelhada e sem comer por 16 horas e é preso

10/03/2016 - Pai deixa filha de castigo ajoelhada e sem comer por 16 horas e é preso

Uma adolescente foi agredida fisicamente pelo pai e passou 16 horas ajoelhada de castigo por usar rede social, em Comodoro, a 644 km de Cuiabá, no domingo (6). Pelas agressões contra ela, a irmã dela, de 11 anos, e a mãe dela, o homem de 33 anos, que trabalhava numa fazenda da região, foi preso nesta terça-feira (8), data em que se comemora do Dia Internacional da Mulher. Ele alegou que deu uma surra na filha por desobediência da parte dela.

Durante o castigo, a adolescente ficou sem se alimentar e, em determinado momento, chegou a desmaiar, conforme a polícia. A vítima estava com hematomas no corpo.


"Ela contou que apanhava muito e que até com o cabo do martelo ele bateu nelas [filhas] em um dia. Eram sessões de tortura mesmo. Um absurdo o que fazia com elas. A mãe iria defendê-las e apanhava também", afirmou o delegado André Eduardo Ribeiro.

Ele a colocou de castigo porque ele não queria ela acessasse as redes sociais e nem usasse o celular, como contou o delegado.
Mãe e filhas foram à polícia na segunda-feira (7). Elas choravam muito na delegacia durante a denúncia sobre as agressões, que, segundo o delegado, ocorriam há aproximadamente um ano. "Elas tinham medo de denunciar porque ele as ameaçava de morte. Percebi que elas tinham muito medo dele", relatou.

As vítimas alegaram que sentiam medo porque o agressor tinha uma arma em casa e que as agressões eram constantes.
A polícia foi até a casa da família e lá apreendeu debaixo do colchão uma espingarda de calibre 22, com munições. Com isso, ele foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e violência doméstica, crime previsto na Lei Maria da Penha.

Apesar de confessar ter agredido a filha mais velha, o homem negou as agressões contra a mulher e a outra filha. Ele foi encaminhado à cadeia pública da cidade. "Ele confessou que bateu na filha e que deixou de castigo para a educação dela", afirmou o delegado. O homem disse à polícia que tinha a arma para proteção.

 

 

G1/MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário