10/07/2015 - Ex-presidente defende Riva e nega fraude de R$ 10 milhões na AL

O deputado estadual Romoaldo Junior (PMDB) isentou nesta quarta-feira o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PSD), de qualquer tipo de negociação ou acordo para pagamento de dívidas do parlamento no período em que permaneceu afastado do comando da Casa de Leis. Romoaldo presidiu a Assembleia por 15 meses, quando Riva esteve afastado das funções administrativas por decisão judicial. “Sou amigo do deputado Riva e estão querendo criar uma briga que não existe entre nós”, disse o parlamentar na tribuna da Assembleia.

 

Segundo o deputado, o ex-presidente da Assembleia “nunca meteu o bedelho” e as decisões sempre foram tomadas por ele e pelo deputado Mauro Savi (PR), então primeiro-secretário do legislativo. “Quero isentar o Riva por qualquer negociação nestes 15 meses”, frisou.

 

Romoaldo também negou ter jogado para Riva toda responsabilidade pela negociação e pagamento da dívida com o HSBC no valor de cerca de R$ 10 milhões que culminou com a "Operação Ventríloquo". “É um absurdo dizer que eu e o deputado Mauro Savi fizemos delação premiada com o Ministério Público”, declarou.

 

Em decorrência da operação, José Riva chegou a ser preso na semana passada, mas ficou detido apenas um dia. Já o ex-secretário Luiz Márcio Pommot Bastos segue detido no centro de custódia de Cuiabá.

 

O parlamentar ainda defendeu a gestão dele e de Riva no parlamento estadual. Ele citou que muitos serviços prestados na atual legislatura são resultados de contratos firmados na gestão anterior. “Até hoje, a atual Mesa Diretora não realizou licitação para gráfica ou material de expediente. Todo este material que atende os deputados, que tem uma grande demanda, foram adquiridos pela Mesa anterior”, assinalou.

 

Além disso, ele citou que as negociações para pagamentos da URV (Unidade Real de Valor) dos servidores foram feitas na gestão passada e estão dentro da legalidade. Hoje, os pagamentos estão suspensos por determinação da nova Mesa Diretora.

 

 

 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário