10/07/2015 - Prefeito firma contrato com suposto traficante e diz não haver ilegalidade

10/07/2015 - Prefeito firma contrato com suposto traficante e diz não haver ilegalidade

O prefeito de Pontes e Lacerda, Donizete Barbosa (PPS), confirma que a administração pública mantém contrato de aluguel de sete veículos da empresa que pertence a Ricardo Cosme Silva Santos, preso na Operação Hybris, da Polícia Federal. A investigação tem objetivo de desarticular organização criminosa voltada ao tráfico internacional de drogas, responsável por movimentar cerca de R$ 30 milhões ao mês.

 

O gestor explica que os veículos atendem as secretarias de Saúde e Agricultura Familiar do município. No entanto, não soube responder o valor do contrato firmado com a empresa do suposto traficante. “Vamos manter o contrato que vai até o final do ano. A não ser que a Justiça determine o rompimento”, salienta.

 

Para justificar a legalidade do processo, Donizete sustenta que o certame foi feito de forma legal, no início da gestão, e que a empresa ofereceu o preço menor, dentre outros três emprendimentos que participaram. “Coube a nós cumprir a legislação. Agora, não é problema meu investigar. O problema é do Estado que precisa apurar, a Polícia Federal”, ressalta ao Rdnews.

 

Donizete afirma que Ricardo era conhecido na cidade toda, já que nasceu e foi criado em Pontes e Lacerda. Mas desconhecia o seu trabalho.

 

Conforme investigações da PF, a organização criminosa é fortemente estruturada e hierarquizada, com liderança firme e divisão de tarefas, incluindo a participação de casas de câmbio para a compra de dólares utilizados na negociação. Haveria  adoção de práticas violentas para aterrorizar inimigos e moradores da região de fronteira, possuindo ligações políticas que culminaram na utilização de empresas fantasmas e contratos com órgão público municipal para lavar o dinheiro obtido com o tráfico.

 

Busca e apreensão

Ontem (8), foram realizadas 36 prisões preventivas, quatro prisões temporárias de 30 dias e 48 buscas e apreensões, com mandados expedidos pelo juízo da 1ª Vara Federal de Cáceres/MT, em Cuiabá, Cáceres, Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade, e nos Estados de São Paulo, Tocantins e Minas Gerais.

 

Também foram apreendidos bens de alto valor, veículos, fazendas, apartamentos, casas, aeronaves, armas e dinheiro em espécie que são fruto da atividade criminosa e que são utilizados para o próprio tráfico de drogas.

 

Operação Hybris

O nome da operação remete a um conceito grego que pode ser traduzido como "tudo que passa da medida, descomedimento" e que atualmente alude a uma confiança excessiva, um orgulho exagerado, presunção, arrogância ou insolência, que com frequência termina sendo punida.

 

Às 11h17 - Prefeitura disponibiliza valores dos veículos locados

Conforme dados da prefeitura, foram adquiridos uma caminhonete cabine dupla, por R$ 5,9 mil; uma caminhonete simples, por R$ 3,8 mil; dois Fiat Strada, por R$ 1,7 mil, cada; três Fiat Uno, por R$ 1,3 mil, cada. Todos valores pagos mensalmente.

 

 

Tarso Nunes

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário