10/07/2016 - 'Não quero ser aprovado com 10, nota 7,5 já está bom'

Após enfrentar uma recente crise com os servidores públicos do Estado por causa da Revisão Geral Anual (RGA), o governador Pedro Taques (PSDB) em uma entrevista ao Grupo Gazeta, avaliou que merece nota 7,5. Isso porque, conforme o chefe do Executivo, não é possível agradar a todos.

O governador avisa que não está preocupado com desgastes decorrentes de tomar medidas necessárias para o funcionamento da máquina.

"Eu fui eleito para decidir e se for para preocupar com desgaste, você não decide. Nem Cristo teve a unanimidade. Eu não quero ser aprovado com 10, mas 7 ou 7,5 está bom. Isso é democracia termos várias opiniões".

Taques comenta que grande parte das críticas que recebe vem de pessoas ligadas a gestões anteriores, que chama de 'viúvas'. E completa que todos os obstáculos sejam na carreira do judiciário ou na política foram vencidos.

"Diziam que não deixaria o Ministério Público Federal (MPF), que não seria eleito senador e depois de eleito que seria ruim, e fui considerado entre os 5 melhores por diversas vezes. Ainda no Senado, ouvi que não conseguiria construir minha candidatura ao governo de Mato Grosso ou que o agronegócio não me aceitaria, e ganhei a eleição e conseguimos chegar até aqui com dificuldades e não é só eu, são todos os governadores do país", comentou o governador, ao citar a crise econômica do país.

Com 1 ano e 7 meses de governo, ele reconhece que muita coisa precisa ser feita no Estado. "Eu até que cumpri mais", disse Taques, lembrando que muitas coisas ainda serão realizadas".

 

 

Fernanda Leite, repórter do GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário