10/09/2015 - Taques defende que menores respondam por crimes e cita caso de tenente-coronel assassinado

O governador do Estado de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), defendeu na manhã desta quarta-feira (09), que jovens de 16 e 17 anos respondam pelos crimes que cometerem: “É impossível que não respondam por isto”. O chefe do Executivo lembrou o caso do tenente-coronel Helton Wagner Martins, de 39 anos, morto por três menores, após eles terem descoberto que a vítima era policial.
 
“Desde que eu era senador já defendia que os menores de 16 e 17 anos possam responder como adultos. Não é possível que eles cometam crimes graves e não respondam devidamente por isso. O meu pensamento não é diferente agora. Eu acompanho os casos que acontecem no Estado, e o do tenente-coronel não foi diferente”, afirmou o governador.
 
Taques aproveitou ainda para ressaltar o trabalho que está sendo feito pela Secretaria de Segurança Pública (SESP): “Segurança Pública não é só polícia. Temos que trabalhar em prevenção e repressão. Estamos discutindo um novo projeto da pasta no Estado. Nestes oito meses de governo já colocamos 3.490 homens nas ruas e academias. Parte deles está na rua dando segurança para a população e a outra (1.340) está na academia recebendo a preparação necessária. É o maior chamamento da história de Mato Grosso. Nunca um governador fez isto em 12 meses”.
 
“Além disto, unificamos os comandos das policias Militar e Civil. Antes, as regiões não eram uniformes. Agora, nós temos duas forças de segurança trabalhando de forma integrada. Tudo isto para que possamos fazer a regionalização da segurança. Também unificamos os bancos de dados para agilizar o registro das ocorrências”, acrescentou o governador.
 
Além disto, o chefe do Executivo prevê a entrega de mais 200 viaturas em diversos municípios do Estado: “Até agora já conseguimos comprar 1.200 pistolas (metade para a Polícia Militar e a outra metade para a Polícia Civil). Já estamos preparando a compra de novos coletes a prova de bala também. Até o momento, conseguimos reduzir 19% dos homicídios de Mato Grosso”.
 
Morte do tenente-coronel
 
O tenente- coronel Helton Vagner Martins foi baleado com quatro tiros, no início de agosto, em sua residência, no bairro Jardim Paraiso, em Sinop. Além dele, a esposa foi baleada com dois tiros. Três homens (menores de idade) foram responsáveis pela invasão a casa. Conforme informações do delegado Joacir Batista dos Reis, o militar fora baleado quatro vezes – três no tórax e um tiro na cabeça - e não resistiu. A esposa dele, Cris Martins, foi baleada com dois tiros, um no braço e outro na nádega. Ela passou por cirurgia e se recuperou.

 

 

Da Redação - Wesley Santiago

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário