10/09/2016 - Governo deve esquecer FEX 2016; Temer não vai liberar

10/09/2016 - Governo deve esquecer FEX 2016; Temer não vai liberar

O presidente do PMDB em Mato Grosso, deputado federal Carlos Bezerra, afirmou à reportagem do Gazeta Digital que o presidente Michel Temer (PMDB) descartou a liberação do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) 2016 para este ano ao Estado.

O deputado, que esteve reunido com o presidente Temer e o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse ter feito um apelo por Mato Grosso, mas ouviu do próprio presidente que nenhum Estado receberá os valores.

"A União não tem condições de realizar os repasses. Foi o que admitiram o ministro Padilha e o presidente Temer", explicou o peemedebista.

Segundo Bezerra, no momento em que deixava o gabinete, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), chegou pedindo também a liberação do recurso para o Estado dele e ouviu "não" como resposta.

Ele aconselha o governador Pedro Taques (PSDB) a não contar com os R$ 420 milhões que Mato Grosso tem direito para, por exemplo, usar no pagamento da folha salarial dos servidores. "Este repasse está fora de cogitação", destacou.

O parlamentar desconhece qualquer previsão de prazo sobre o repasse do FEX referente ao ano de 2016, que deve chegar a quase R$ 2 bilhões considerando estados, Distrito Federal e municípios.

Governador em Brasília 

O governador Pedro Taques (PSDB), nos últimos meses, esteve várias vezes em Brasília onde se reuniu com o presidente Temer e o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, além de outras autoridades ministeriais para cobrar a quitação do FEX.

Em todas as reuniões, conforme anunciou o governador no retorno a Mato Grosso, as sinalizações haviam sido positivas quanto a liberação dos valores. 

 

 

Fernanda Leite, repórter do GD

Comentários

Data: 13/09/2016

De: Luis Gonzaga Domingues

Assunto: luisodomingues@hotmail.com

Senhor Carlos Bezerra gostaria de saber como eram liberados os recursos financeiros para construção de ginásio de esporte quando você era líder do governo Fernando Henrique Cardoso e como era realizada a divisão dos mesmos entre os prefeitos, sua família e empresários? O que estou escrevendo aqui foi informação repassada pelo exs-prefeito de Luciara-MT Odete. Ele é que falou que a corrupção é muito grande e que demorou muito para decidir se aí participar da mesma. Isso ocorreu quando eu era Diretor do Campus Universitário do Médio Araguaia-Luciara em festa de peão onde estavam presentes minha esposa, o prof. Luís Antônio Soares e sua esposa. Portanto, eu não invente e nem tenho provas. O mesmo afirmou que tal prática ocorria em todo país na sua gestão.

Novo comentário