10/10/2014 - Fagundes aposta em seu prestígio eleitoral para dar a Dilma primeira vitória do PT no Estado

A inesperada derrota no primeiro turno após liderar as pesquisas até a última semana e o histórico de o Partido dos Trabalhadores jamais ter vencido a disputa pela Presidência da República em Mato Grosso, levaram o coordenador geral da coordenação pró Dilma Rousseff (PT) no Estado, senador Wellington Fagundes (PR), a buscar uma estratégia inusitada: investir no próprio patrimônio eleitoral. Ele deseja quebrar um novo paradigma, ao coordenar o que espera ser a primeira vitória da história do PT em Mato Grosso – nem mesmo o presidente Lula, no auge de seu prestígio e com apoio do então governador reeleito Blairo Maggi (PR), em 2006, consegui tal façanha.
 
“É provável que, por causa das forças regionais divergentes, no primeiro turno, não tenhamos conseguido mostrar ao eleitorado tudo o que a presidenta Dilma fez em Mato Grosso. Agora vamos esmiuçar isto tudo”, argumentou o coordenador geral, para a reportagem, após se reunir com dirigentes de partidos aliados, no início da tarde desta quinta-feira (09), no auditório do Hotel Diamond.
 
O coordenador geral lembrou que Blairo Maggi entrou de corpo e alma na campanha da reeleição de Dilma e que é essencial para atrair o agronegócio. “Devemos ter competência para mostrar o que foi feito, como por exemplo em logística: a duplicação da BR-163, a Ferrovia Centro-Oeste [Fico], a conclusão da BR-158 rumo ao Pará e muitas outras obras”, pontuou ele.
 
Durante quase duas horas, Wellington Fagundes  coordenou reunião de trabalho com dirigentes e parlamentares de PR, PT, PMDB, Pros e PCdoB. Além disso, marcou reunião ampliada para a noite desta  quinta-feira (09), no Hotel Diomond, com os mesmos aliados, somados ao PSD e PP.
 
O presidente regional do PP, deputado federal Ezequiel Ângelo Fonseca, afiançou que a legenda encontra-se no arco de alianças de Dilma e vai honrar o compromisso. Embora o governador eleito José Pedro Taques (PDT) tenha declaro apoio para o presidenciável Aécio Neves (PSDB), Ezequiel Fonseca ainda confia que o vice-governador eleito Carlos Fávaro (PP) irá seguir orientação partidária e apoiar Dilma.
 
Wellington Fagundes e Ezequiel Fonseca realizam, nesta sexta-feira (10), um levantamento dos prefeitos e vereadores que apoiarão a reeleição de Dilma. Depois, na próxima  segunda-feira (13), em Cuiabá, será realizado um ato público com todos os apoiadores da presidenta petista.
 
Ordem unida
 
O deputado federal Ságuas Moraes (PT), único eleito em Mato Grosso pelo Partido dos Trabalhadores, disse que, neste momento, a unidade é fundamental e há necessidade de se fazer o comparativo entre os governos Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Lula da Silva e Dilma (2003-14). “É evidente que muitos não se lembrem deles [PSDB] no governo, mas  a comparação é inequívoca e há clareza de que Lula e Dilma fizeram muito mais”, afirmou Ságuas.
 
O secretário geral da Executiva Regional do PR, deputado Emanuel Pinheiro, disse que organização é essencial. Ele considera possível a vitória de Dilma na disputa do segundo turno pela Presidência, inclusive em Mato Grosso.
 
O presidente do PCdoB, Islan Galvão, argumentou que a presidenta Dilma possui obras imensuráveis para Mato Grosso, como milhares de casas populares, a contribuição para as obras da Copa do Pantanal Fifa 2014 e o MT Integrado, entre outras. “É notório que a maioria da população não tem conhecimento sobre esses investimentos. Mas vamos fazer com que saibam”, emendou Islan.

 

 

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

Comentários

Data: 21/10/2014

De: odair procope de souza

Assunto: Reeleição

Vamos lá todos unidos pela vitória de Dilma, parabéns politicos envolvidos na vitória de Dilma, o Brasil não pode parar.

Novo comentário