10/11/2015 - Cunha diz que vai provar no Conselho de Ética que não mentiu na CPI

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta segunda-feira (9) que vai comprovar, em sua defesa no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, que não mentiu durante depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, quando foi perguntado se ele detinha contas bancárias no exterior. Cunha responde a representação no conselho por suposta quebra de decoro parlamentar durante depoimento na CPI.

“Eu tenho a mais absoluta convicção de que o que falei na CPI [da Petrobras] vai ser comprovado pela minha defesa no Conselho de Ética. Então eu não estou preocupado com isso. Tenho absoluta convicção de que tudo que falei tem absoluta comprovação e será feita na defesa a ser apresentada. Não estou nem um pouco preocupado com isso. Eu falei a verdade. No Conselho de Ética eu vou me ater à representação”, disse.

Segundo Cunha, é possível que seu advogado no Conselho de Ética apresente alguma defesa na fase preliminar de investigação. Nesta fase, o relator do processo, deputado Fausto Pinato (PRB-SP), deverá elaborar um parecer preliminar se a representação deve ser acatada e o processo deve prosseguir ou se deve ser arquivado. O parecer tem que ser votado pelos integrantes do colegiado. Cunha disse que ele mesmo poderá comparecer ao conselho nesta fase.

“É possível que o meu advogado apresente alguma coisa antes do parecer preliminar, até por que eu posso me manifestar em qualquer fase do processo”, disse. “A defesa mais formal seria a posteriori. Alguma coisa deve ser apresentada antes do parecer preliminar”. Cunha informou que sua preocupação é fazer uma “boa defesa” para que todos tenham a convicção de que ele falou a verdade.

Em relação aos pedidos de impeachment apresentados à Câmara contra a presidenta Dilma Rousseff, Cunha disse que só deverá dar parecer depois do dia 15 e que nesta semana não deverá despachar nenhum dos pedidos protocolados na Casa.

Eduardo Cunha informou que na sessão de amanhã, a Câmara deverá votar a Medida Provisória (MP) 688, que trata das tarifas de energia elétrica. Segundo ele, o projeto sobre a repatriação de ativos no exterior deverá ser colocado em votação na quarta-feira. Na semana passada, o relator do projeto, deputado Manoel Junior (PMDB-PB), apresentou um novo parecer que foi discutido.

 

 

Agencia Brasil

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário