10/12/2014 - Com morte de Rabello, Fabris passa de suplente a deputado estadual

O suplente de deputado estadual, Gilmar Fabris (PSD), passará a ocupar uma cadeira definitiva na Assembleia Legislativa. Tendo perdido a eleição a deputado estadual este ano por 38 votos, ele é o primeiro suplente do PSD. Ele ocupará a cadeira deixada pelo deputado reeleito Walter Rabello (PSD), que faleceu na madrugada desta quarta-feira (10), vítima de um ataque fulminante. 

Gilmar deverá ser diplomado deputado já no dia 19 próximo. Ele recebeu 20.082 votos, 1,35% dos votos válidos, e agora assume a cadeira deixada por Walter Rabello.

Até semana passada, ele ocupava a cadeira do deputado estadual José Domingos Fraga (PSD), o “Zé Domingos”, que havia se licenciado pelo período de 121 dias. Porém, o Ministério Público do Estado (MPE) notificou a Assembleia Legislativa a revogar a licença dada a Domingos porque ela foi concedida faltando apenas 66 dias para o término de mandato do candidato. Dessa forma, ele não poderia se licenciar pelo período solicitado.

Recentemente, o suplente teve seu nome como alvo de um protesto contra uma possível ida para o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT). De acordo com rumores, ele assumiria a cadeira de conselheiro do ex-deputado estadual Humberto Bosaipo, que pediria a aposentadoria. Na ocasião, servidores, sindicatos e associações se colocaram contra essa possibilidade. A Justiça também determinou que qualquer pedido de aposentadoria a Bosaipo não fosse apreciada.

Vida pública
Fabris foi um dos alvos da sexta fase da Operação Ararath, deflagrada pela Polícia Federal (PF) em setembro deste ano. A PF cumpriu mandado de busca em seu apartamento. A Operação investiga um esquema de transações financeiras clandestinas que teriam movimentado, no mínimo, o montante de R$ 500 milhões, desde 2005.

Ele também foi indiciado pela Polícia Federal por envolvimento em um esquema que ficou conhecido por “escândalo das cartas marcadas”, cujo crime consistia em emissão de cartas de créditos de direitos trabalhistas feitas de forma fraudulenta. A suspeita é que o grupo tenha desviado o valor correspondente a R$ 500 milhões desde 2008.

Walter Rabello
O deputado faleceu aos 48 anos de idade ao chegar em sua residência, vítima de um ataque fulminante. Ele havia se reunido anteriormente com o deputado estadual eleito Eduardo Botelho, com quem discutiu sobre a composição da mesa diretora da Assembleia Legislativa.

Ao chegar em casa, por volta das 22h30, foi direto para o banheiro de seu quarto tomar banho, quando começou a passar mal e a gritar por socorro. Sua esposa acionou o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência], que chegou rapidamente e o levou até o Pronto Socorro de Cuiabá, onde os médicos que o atenderam constataram sua morte. 

 

 

Tarley Carvalho | Redação 24 Horas News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário