11/03/2015 - Taques e Mendes prometem novo Pronto-Socorro para 2016

O governador Pedro Taques (PDT) e o prefeito Mauro Mendes (PSB) firmaram, na tarde desta terça-feira (10), um convênio para execução de obra pública do novo Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá.

Taques disse que, apesar de estar localizado na capital, a unidade será para o de atendimento de todos os mato-grossenses. A obra está orçada em R$ 79,6 milhões e a expectativa é concluí-la em 20 meses.

O novo Pronto Socorro terá como foco o atendimento de casos de alta complexidade, inserindo os de urgência e emergência

O prefeito Mauro Mendes (PSB) negou que a obra do novo Pronto-Socorro na Capital volte a ser usada como plataforma eleitoral, caso ele opte em disputar a reeleição ao Palácio Alencastro.

“Primeiro, quero deixar claro que não vou discutir reeleição neste momento, isso é pauta pra 2016. Além disso, penso que político não pode fazer obra para seu próprio mandato. Temos que parar com essa visão”, disse ele. 

As declarações foram feitas no fim da tarde desta terça-feira (10), ocasião em que o prefeito e o governador Pedro Taques (PDT) assinaram um convênio para execução da obra. 

Foi acordado que o Estado repassará R$ 50 milhões, dos R$ 79,6 milhões inicialmente orçados. 

“Essa é uma obra que já está atrasada há 15 anos. Estou dando passos seguros, concretos e exequíveis, o que nunca foi feito. A realidade é que temos um projeto, recursos viabilizados e com um cronograma de execução para 20 meses”, completou Mendes, ao minimizar atrasos na construção da obra. 

O novo Pronto-Socorro da Capital foi prometido para ser entregue ainda nos dois primeiros anos de sua gestão no município. 

“Infelizmente, o ‘time’ da administração pública é diferente daquele que gostaríamos. Não importa se essa obra vai ficar pronta dentro do meu mandato ou não. Isso é o que menos importa. O mais importante é que ela vai ser concluída”, afirmou ele. 

Questionado se a possibilidade de realizar a entrega da obra na condição de prefeito não seria um “plus” para que ele tentasse a reeleição, Mendes preferiu se esquivar. 

“Volto a dizer que a obra não é para o meu mandato, é para a população. E sobre a reeleição, vocês podem enjoar de perguntar, que não ouvirão da minha boca uma resposta sobre isso”, afirmou ele. 

Críticas 

Ainda que não se coloque na condição de candidato para o próximo pleito eleitoral, Mauro Mendes já é alvo de críticas dos opositores.

Em entrevista recente ao MidiaNews, por exemplo, o dirigente do PMDB municipal Clóvis Cardoso, alegou que a “falta de gestão” do atual prefeito fortalecerá a candidatura de seus possíveis adversários. 

O dirigente chegou a mencionar que não existe nenhum projeto em Cuiabá de autoria de Mauro. 

O prefeito, por sua vez, rebate as afirmações: “O pior cego é aquele que não quer ver. Nossos projetos estão aí colocados e eu não vou ficar respondendo a esse tipo de ‘fofoquinha’. Tenho uma cidade para administrar”. 

“Meu jeito de fazer política é totalmente diferente. Não vou entrar em ti-ti-ti. Isso é muito miúdo comparado aos interesses da população”, completou o prefeito. 

Obra 

O novo Pronto Socorro terá como foco o atendimento de casos de alta complexidade, inserindo os de urgência e emergência. 

De acordo com o executivo municipal, a unidade terá três entradas principais: uma exclusiva para pacientes em casos de urgência e emergência, a segunda para casos ambulatoriais (como consultas e agendamentos) e uma terceira para internações. 

Os três grandes setores do hospital deverão conter 315 leitos, sendo 60 para Unidades de Terapia Intensiva (UTI). 

A unidade será construída na região do bairro Ribeirão do Lipa, próximo ao Centro de Eventos do Pantanal. 

Na cerimônia de assinatura do convênio, o governador Pedro Taques destacou que apesar de estar à frente do governo do Estado por 70 dias, já é possível perceber que a saúde será a grande prioridade de sua gestão. 

"A nossa gestão tem o compromisso de saldar tudo o que foi prometido. Nós temos um compromisso com o povo deste Estado e o primeiro deles é diminuir o sofrimento daqueles que mais precisam", disse.

O convênio estabelece um Plano de Trabalho com um cronograma de desembolso para a obra, que está orçada em R$ 79,6 milhões, dos quais R$ 50 milhões serão de recursos do Estado e R$ 29,6 milhões da Prefeitura.

 

 

Camila Ribeiro 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário