11/03/2016 - Governo implanta avaliação da educação em MT e espera melhorar índices a partir de 2017

11/03/2016 - Governo implanta avaliação da educação em MT e espera melhorar índices a partir de 2017

O governador Pedro Taques (PSDB) e o secretário de Estado de Educação, Perminio Pinto (PSDB), lançaram, nesta quinta-feira (10), a prova Avalia MT, que vai medir o desempenho dos alunos em Mato Grosso. A ideia é usar os subsídios da prova para melhorar os índices de educação no estado. Taques observou que essa não é uma meta simples de se atingir, mas ele espera já ver melhorias em 2017. Atualmente, Mato Grosso tem a segunda pior média do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), perdendo apenas para Alagoas.
 
“Não há que se falar em estado forte sem uma educação de qualidade. A educação precisa de melhorias, mas tenho certeza que a educação é a solução para ultrapassar nossas dificuldades. Porém, isso não se muda em um ano. Goiás levou três anos e o Rio de Janeiro levou dois anos para melhorar os indicadores. Ano que vem, quem sabe”, disse o governador.

A ideia da prova “caseira” é ter um sistema próprio de controle de qualidade da educação e não depender só da avaliação do Ideb, que é a cada dois anos. As notas não serão divulgadas, apenas uma média estadual. “Não haverá ranqueamento entre as escolas. Queremos corrigir as diferenças. Algumas escolas têm índices acima da média nacional e outras muito abaixo”, disse o secretário Permínio.

Ao todo, 163.214 alunos devem fazer a prova, que será nos dia 29 e 30 de março. São aluanos da rede estadual de ensino do 2º, 4º, 6º e 8º anos do Ensino Fundamental e 1º e 2º anos do Ensino Médio, de 469 escolas estaduais urbanas, 12 de educação do campo e duas unidades quilombolas.

A prova terá questões objetivas e subjetivas, de português e matemática, e será realizada pelo Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora. O instituto já realizou o diagnóstico do ensino público em outros 18 estados brasileiros. A Seduc investirá aproximadamente R$ 3,7 milhões, ou seja, cerca de R$ 22,71 por aluno para a realização da prova.

O secretário informou ainda que o governo vai lançar um programa de formação continuada dos professores e de todos os profissionais do sistema educacional, inclusive na área de gestão, para os que desejarem concorrer à direção das escolas. 

Da Redação - Laíse Lucatelli

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário