11/04/2015 - Justiça acolhe pedido do MPE e determina transferência de dinheiro apreendido em Canarana para a conta do Estado

A Justiça acolheu pedido do Ministério Público do Estado de Mato Grosso e determinou a transferência do valor de R$ 3,2 milhões, apreendido com José Silvan de Melo no município de Canarana, para a conta do Estado. O promotor de Justiça Jorge Paulo Damante Pereira argumenta que existem indícios veementes de que o acusado integra uma organização criminosa.

Consta nos autos, que o dinheiro estava escondido na carroceria da caminhonete pertencente ao preso, ocultado sob pacotes de café em pó, fezes bovinas em sacos, tábuas e capim espalhado por cima da carga. No momento da prisão, o acusado chegou a oferecer propina aos policiais e ao delegado responsável pelo caso.

“Questionado sobre a origem da milionária quantia, o preso alegou que realizava negócios em dinheiro vivo e tinha por hábito enterrar os valores por questão de segurança. De outro norte, informou declarar imposto de renda na condição de isento e nem tampouco comprovou, nesse momento, a realização de qualquer atividade econômica”, destacou o promotor de Justiça.

Conforme o Ministério Público, o acusado também foi preso em Recife no mês de outubro de 2014 com mais de R$ 1 milhão e 200 pesos bolivianos. O valores estavam escondidos em sacos de rações, no interior de uma caminhonete Hilux. A prisão ocorreu após denúncia que um grande traficante iria realizar uma negociação de drogas em um estabelecimento comercial na capital Pernambucana.

“No momento da prisão em Recife, José Silvan ofereceu R$ 200 mil aos policiais para ser liberado da prisão em flagrante. A propina oferecida resultou em denúncia pela prática do crime do art 333 do CP, sendo certo que o indivíduo permaneceu preso até 19 de dezembro de 2014”, acrescentou o promotor de Justiça.

Consta na petição, que em setembro de 2014, um mês antes de ser preso no Estado do Pernambuco, o acusado adquiriu imóvel rural na cidade de Paranatinga pelo valor de R$ 9,5 milhões. “José Silvan pontuou que não possui bens registrados em seu nome e que não formaliza declaração de imposto de renda, declarando-se como pessoa isenta”, destacou o MPE.

De acordo com o secretário de Estado de Segurança Pública, Mauro Zaque, o dinheiro transferido para a conta do Estado será utilizado em investimentos na área da segurança pública. Estão previstas aquisições de armamentos, coletes a prova de bala, reforma da cadeia de Canarana, entre outros investimentos.

Nesta sexta-feira (10), o governador do Estado, Pedro Taques; o procurador-geral de Justiça, Paulo Roberto Jorge do Prado; o secretário de Segurança Pública, Mauro Zaque; o delegado de Polícia de Canarana, João Biffe Júnior; o promotor de Justiça Jorge Paulo Damante Pereira; o procurador de Justiça Luiz Alberto Esteves Scaloppe, entre outras autoridades, apresentaram um balanço da ação desencadeada no município. A iniciativa teve como objetivo demonstrar à sociedade o engajamento das instituições no combate ao crime organizado.

 

 

Escrito por CLÊNIA GORETH da assessoria 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário