11/04/2016 - 61% dos brasileiros apoiam impeachment de Dilma Rousseff

11/04/2016 - 61% dos brasileiros apoiam impeachment de Dilma Rousseff

A maioria da população apoia o impeachment da presidente Dilma Rousseff, aponta levantamento do Instituto Datafolha divulgado neste sábado (9). De acordo com o instituto, 61% dos entrevistados afirmam que os deputados deveriam votar a favor do impedimento de Dilma, ante 33% que preferem que os parlamentares votem contra.

A Comissão Especial do Impeachment vota nesta segunda-feira (11) parecer do relator Jovair Arantes (PTB-GO) favorável ao impeachment da presidente. Caso 33 ou mais deputados do órgão, composto por 65 deputados, aprovem o parecer, o plenário da Câmara votará, no próximo fim de semana, se a questão segue para o Senado.

No plenário, é necessário o apoio de 342 dos 513 parlamentares para dar prosseguimento ao pedido.

Renúncia

O índice de apoio ao impeachment é, segundo o Datafolha, semelhante ao percentual de entrevistados favoráveis à renúncia de Dilma: 60% dizem que ela deveria abrir mão do cargo voluntariamente, ante 37% que são contrários.

O Datafolha aponta ainda que 58% dos entrevistados são a favor do afastamento do vice-presidente, Michel Temer, ante 28% que acham que ele deve permanecer no cargo. Ainda conforme o instituto, 60% acreditam que Temer também deveria renunciar, ante 30% contrários à saída espontânea do vice.

Os números do Datafolha apontam também grande apoio à realização de novas eleições: 79% dos entrevistados disseram que, caso Dilma e Temer deixem o governo, um novo pleito deve ser convocado.

Por lei, para que novas eleições sejam realizados, é preciso que a presidente e o vice deixem o governo ainda neste ano, antes do fim da primeira metade do mandato. Caso um deles permaneça até o ano que vem, as eleições seriam indiretas.

Segundo o Datafolha, a pesquisa foi realizada entre 7 e 8 de abril com 2.779 entrevistados em 170 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

 

 

R7

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário