11/06/2016 - Ônibus queimados e ataque contra casa de agente penitenciário geram pânico; ações seriam represália de bandidos contra greve

11/06/2016 - Ônibus queimados e ataque contra casa de agente penitenciário geram pânico; ações seriam represália de bandidos contra greve

Em represália à greve dos agentes penitenciários, três ônibus foram incendiados e o carro e a residência de um servidor foram alvejados na noite desta sexta-feira (10), em Cuiabá. O presidente do Sindicato do Sistema Penitenciário, João Batista, informou que outro veículo foi encontrado pela polícia com marcas de tiro, na Avenida dos Trabalhadores. O dono ainda não foi localizado, mas a suspeita é de que o automóvel também pertença a um agente. As ações tiveram início depois das 18h, quando mães e esposas de detentos encerraram um ato de protesto na rodovia BR 364.
 
As empresas de transporte público encerram suas atividades antes das 20h horas e recolheram os coletivos, e, por conta disso, escolas e faculdades liberam seus alunos mais cedo. Por grupos do Whatsapp, circulam áudios feitos, supostamente pelos detentos, na qual ameaças a população são feitas. “é pra destruir a cidade”, diz uma das gravações.

Os ônibus foram quimados nos bairros Praieiro, Pedra 90 e Jardim Vitôria, enquanto que o ataque ao carro e casa do agente presional aconteceram no bairro Jardim Eldorado. A Associação Mato-grossense de Transportes Urbanos (AMTU) foi procurada por diversas, mas até a publicação da matéria, não se pronunciou sobre a situação.

O ato realizado nesta sexta  foi motivado pela paralisação dos agentes, que impede as visitas no Paschoal Ramos. Além disso, as mulheres alegam que um dos detentos foi morto pelos agentes na ação, que não há médicos na unidade prisional, que a comida servida está estragada. No entanto, a representante do Sindicato do Sistema Penitenciário, Josilene Muniz, afirma que as alegações são falsas, e o serviços essenciais, como vida, saúde, alimentação e segurança, foram mantidos no local. Para ela, a motivação para o ato é a interrupção na entrada de drogas no presídio, facilitada pela ausência de um Raio-x no local. 

De acordo com o secretario de segurança, Roger Jarbas, todas as forças de segurança Pública estão nas ruas. “Polícia Militar, Polícia Civil e todas as forças especiais, inclusive os Bombeiros estão atuando fortemente em toda a região metropolitana. Estão todas as unidades na rua agora, com força total. Eu gostaria de tranquilizar a população que todas as medidas necessárias estão sendo tomadas para que a paz e a tranquilidade sejam retomadas”, afirma.

Os agentes entraram em greve no dia 1 de junho, para reivindicar o pagamento do Reajuste Geral Anual (RGA). Segundo a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), desde o começo da semana, familiares dos detentos estão alertando para uma possível rebelião e chegaram a bloquear o tráfego em uma rodovia para reivindicar o retorno das atividades nos presídios.

Foi informado ainda que criminosos tem passado trotes para a Polícia, para dificultar a ação nas ruas. Em uma das situações foi informado um tiroteio com mortos  na Farmácia Unimed e em outra, um assalto ao Supermercado Comper da Avenida da Prainha.

 

 

 

Da Redação - André Garcia Santana

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário