11/07/2011 - 08h:20 Delegacia de Vila Rica não tem verba para água e papel higiênico

11/07/2011 - 08h:20  Delegacia de Vila Rica não tem verba para água e papel higiênico

Segundo denúncia do presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública (Conseg), de Vila Rica, Leonardo Borghesan, a delegacia civil da cidade está em  estado de calamidade, já que  segundo ele não tem verba para o custeio de despesas básicas, como água, papel higiênico e tinta de impressora.
A situação critica não se reduz apenas as despesas básicas, mas também a estrutura física do prédio, que apresenta sérios problemas de infraestrutura, entre eles infiltração.
Em entrevista a impressa, Borghesan, se diz indignado, pois a entidade vem encaminhando vários ofícios à Secretaria de Segurança Pública do Estado (Sesp) desde 2008, mas até hoje não obteve nenhuma resposta. "O delegado daqui (Vitor Domingues Chab) parece um pedinte. É um absurdo ter de pedir à prefeitura recursos para comprar até água", reclamou.
Ainda segundo, Borghesan, o governo do estado, não cumpriu com a promessa de reformar o prédio, onde antes funcionava o Batalhão da Polícia Militar, e transferir a delegacia para esse local. Além de não receber repasse do Fundo Estadual de Segurança Pública (Fesp).
Por meio de nota a impressa, o delegado José Antônio Cavadas, diretor de Execução Estratégica da Polícia Civil, informou que a cada três meses os materiais de consumo são encaminhados às unidades de acordo com o pedido formulado e "se os produtos não vêm sendo entregues é porque a solicitação não deve ser sido feita corretamente".
Já o Delegado Cavadas,  responsável pelo setor de compras e finanças da Polícia Civil do Estado, disse que as unidades não recebem repasse do Fundo Estadual de Segurança Pública (Fesp) e que o orçamento é definido no mês de julho de cada ano por meio do Plano de Trabalho Anual (PTA). Segundo ele, os materiais de consumo, no caso de Vila Rica, são encaminhados de Cuiabá para a Delegacia Regional de Porto Alegre do Norte, a 1.143 quilômetros da capital.
Em relação ao reforma, segundo ele no orçamento de 2011, não ficou prevista nenhuma obra de reestruturação, mas que pediu às delegacias regionais e do interior que vivem em situação precária que procurassem um imóvel para a locação, como medida emergencial.

 

Redação 24 Horas News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário