11/07/2014 - Indea registra 55 autuações em 15 dias de vazio sanitário em MT

Maioria dos casos ocorreram nas regiões Oeste e do Vale do Araguaia. Já foram visitadas 845 propriedades rurais.

 

Nos 15 primeiros dias do vazio sanitário emMato Grosso (15/6 a 30/6), fiscais do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) emitiram 55 autuações, número maior que nos 90 dias de vazio sanitário de 2013, quando foram emitidas 41 autuações. Foram ainda emitidas 97 notificações.

As duas regiões que mais receberam autuações por apresentar soja voluntária (guaxa ou tiguera) nas propriedades são a Oeste, nos municípios de Sapezal e Campos de Júlio, e a do Vale do Araguaia, nos municípios de São Félix do Araguaia e São José do Xingu.

Segundo Rogacioano Arruda, fiscal estadual agropecuário do Indea, 90 fiscais visitaram 845 propriedades nos municípios produtores de soja do estado. A intenção é chegar próximo de 4 mil propriedades visitadas até o final do vazio sanitário, em 15 de setembro. Em 2013, 70 fiscais visitaram 3,2 mil propriedades e emitiram 296 notificações.

O fiscal ressalta que a principal intenção do Indea não é gerar multas, mas que os produtores devem se preocupar com a necessidade de se cumprir o prazo do vazio sanitário. “O produtor tem que ficar de olho para não deixar resíduos de plantas nos campos para evitar chamada ponte verde, que permite que os fungos da ferrugem asiática continuem presentes nas lavouras”, afirma ele, que é o responsável pelo Programa de Controle de Pragas de Importância Econômica para o Estado de Mato Grosso.

Multas
As notificações são aplicadas quando são encontrados alguns focos isolados de soja voluntária (tiguera ou guaxa) na propriedade durante o vazio sanitário. O produtor rural ganha um prazo de 1 a 2 dias para eliminar as plantas.

Quando o volume de soja guaxa encontrada na propriedade é expressivo, é emitida uma autuação, da qual o produtor pode recorrer em 1ª e 2ª instância. Se o produtor não ganhar o processo, a autuação então pode virar uma multa com o valor de 30 Unidade Padrão Fiscal do Estado de Mato Grosso (UPF/MT) e mais 2 UPFs por hectare com soja voluntária. Cada UPF tem um custo de R$ 100 aproximadamente. Os talhões são medidos pelos fiscais com auxílio de GPS.

 

Amanda SampaioDo G1 MT

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário