11/07/2015 - Quem saiu de onde eu saí e chegou onde eu cheguei, tem que ser otimista, diz Pedro Taques

A crise econômica que afeta o Brasil e também a China, o principal mercado consumidor da exportação mato-grossense, não preocupa o governador Pedro Taques (PDT), que se diz um otimista. O fato de Mato Grosso ser prioritariamente um produtor de alimentos é um dos fatores que anima o governador. Outro é o potencial de Estado para verticalizar a produção.

“Uma pessoa que chegou onde eu cheguei, saindo de onde eu saí, tantas vitórias que eu tive em cinco anos depois de sair da Procuradoria, fui eleito senador e governador em cinco anos, eu tenho que ser otimista. Eu sou otimista. Por mais que o Brasil esteja em crise, que haja retração do PIB chinês, aqui em Mato Grosso o Estado está reagindo muito rápido”, afirmou, em entrevista exclusiva para o Olhar Direto. 

“Lógico que essa retração do PIB da China tem repercussão. Qualquer oscilação tem repercussão aqui porque somos exportadores de commodities e 56% do que produzimos vai para a China. Houve uma queda da exportação de minério de ferro do Brasil para a China, mas comida todos precisam. Notadamente em razão de problemas climáticos nos Estados Unidos”, observou.

Novos mercados 

Por reduzir a dependência da importação chinesa, segundo o governador, é preciso buscar novos mercados consumidores. De olho na ampliação do mercado consumidor, ele defende também a agregação de valor.

“Cabe ao Governo do Estado fazer prospecção em outros mercados. Temos que buscar novos parceiros, além de investir na verticalização da produção. No dia 26, temos reunião na Abit - Associação Brasileira de Indústria Têxtil, para mostrar o que Mato Grosso tem, de que maneira podemos industrializar. Se produzimos 56% do algodão, não é razoável que o algodão saia daqui e vá para o Nordeste para tecelagem depois para Goiás para confecção”, analisou.

Turismo

Além de buscar novos mercados para a produção atual e indústrias para agregar valor, Pedro Taques pretende ampliar a indústria do turismo em Mato Grosso. A primeira investida do seu governo foi no Distrito de Bom Jardim, localizado em Nobres, conhecido pelos rios de águas cristalinas.

“Não adianta termos vários potenciais turísticos e não termos um case turístico. A ideia é criar casescomo Mato Grosso do Sul fez com Bonito, como o Rio Grande do Sul fez com Gramado. Investir de forma segmentada, como fizemos com os jornalistas no fun tour em Bom Jardim. E também resolvemos a licenças das pousadas no distrito. Vamos inaugurar a rodovia que liga Nobres a Coqueiral e Bom Jardim. E começamos a trabalhar esse potencial”, arrematou. 

 

 

Da Redação - Laíse Lucatelli

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário