11/09/2014 - Milho: Conab eleva valor do Pepro na maior parte das regiões

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) elevou o valor da maior parte das subvenções que serão pagas no leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro) de milho da próxima quinta-feira, 11. O pregão contempla produtores do Centro-Oeste e do Nordeste do País, mas apenas produtores de Mato Grosso do Sul disputarão prêmios menores. Este é o terceiro leilão da temporada e negociará 1,8 milhão de toneladas. A intervenção do governo tem por objetivo garantir a remuneração ao produtor, pagando a diferença entre o preço de mercado do cereal e o mínimo de garantia estabelecido pelo governo.

Em Mato Grosso, maior produtor de milho do País, o prêmio será maior nas quatro regiões contempladas pelo leilão. A Conab excluiu os municípios do sudeste do Estado, como Rondonópolis e Primavera do Leste, que negociam o produto acima do mínimo de garantia do Estado, de R$ 13,56/saca.

Na região 2 de Mato Grosso, de Sorriso e Lucas do Rio Verde, produtores irão disputar prêmio de R$ 3,15 por saca para 500 mil toneladas. No leilão realizado no final de agosto, o valor do subsídio foi de R$ 2,79/saca e não houve deságio. Na região 3, de Sapezal e Campo Novo do Parecis, o prêmio para escoar 300 mil toneladas do cereal foi reajustado de R$ 2,40/saca para R$ 2,88/saca. Na região 4, de Canarana, contemplada com subsídio para 200 mil toneladas, o prêmio foi para R$ 3,06/saca, ante R$ 2,73/saca. Na região 1, de Sinop, o reajuste da subvenção para comercialização de 500 mil toneladas foi apenas marginal, de R$ 3,54/saca para R$ 3,55/saca.

Em Goiás, que poderá escoar 75 mil toneladas do cereal neste leilão, a Conab também elevou o valor do prêmio, de R$ 1,21/saca para R$ 1,42/saca. No norte de Mato Grosso do Sul, no entanto, o valor de R$ 1,42/saca é menor que os R$ 1,83/saca ofertados no leilão passado. Vale lembrar que os prêmios para Mato Grosso do Sul têm sido considerados insuficientes e, nos dois pregões realizados até aqui, produtores arremataram subvenção para apenas 30 mil toneladas das 150 mil ofertadas.

Para produtores do oeste da Bahia, a estatal estabeleceu prêmio de R$ 2,59/saca, enquanto que no sul do Maranhão o valor ficou em R$ 3,09/saca. Ainda no nordeste, produtores do sul do Piauí disputarão subsídio de R$ 2,10/saca. No leilão de 28 de agosto, o primeiro a contemplar o nordeste, o prêmio para as três regiões foi de R$ 1,59/saca. O volume a ser escoado foi mantido em 50 mil toneladas para cada uma das três regiões.

 

 

  

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário