11/09/2015 - Polícia Civil prende suspeito e esclarece homicídio em quitinete

Um homicídio ocorrido em uma quitinete no Centro de Várzea Grande foi esclarecido pela Polícia Judiciária Civil, em ação da Delegacia Especializada de Proteção a Pessoa (DHPP). Apontado como autor do crime, Paulo Bernardo Campos, o “Paulão da Horta” teve o mandado de prisão cumprido nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (10.09).

O crime aconteceu no dia 16 de junho. A vítima Valteir Reis dos Santos foi encontrada morta na quitinete em que morava, no Centro de Várzea Grande. Segundo as investigações, a vítima estava comemorando o seu aniversário, quando o acusado entrou em sua casa. Após se agredirem fisicamente, o acusado sacou um revólver e efetuou aproximadamente 5 disparos contra a vítima.

Durante as diligências, a equipe de investigadores da DHPP localizou a testemunha ocular do homicídio que reconheceu formalmente Paulo Bernardo como autor do crime. A testemunha revelou que no dia do velório da vítima, o acusado apareceu para ameaça-la, caso ela levasse o fato a conhecimento da Polícia ou da Justiça.

Após ser identificado como autor do crime, o acusado teve o mandado de prisão representado pelo delegado, Antonio Carlos de Araújo e expedido pela Justiça.

O mandado de prisão contra o suspeito foi cumprido, na manhã desta quinta-feira (10), em sua residência no bairro Jardim Paula II. Ele não tentou resistir a prisão. Em cumprimento a mandado de busca e apreensão na casa, policiais encontraram um revólver calibre 32 com numeração raspada e três munições, escondidos dentro do ralo do banheiro.

Na delegacia, o acusado confessou ter cometido o crime sozinho e disse que a arma encontrada na casa não foi a mesma utilizada para matar a vítima. A motivação do crime seria o fato de a vítima ser suspeita de ter executado o filho do acusado, em dezembro de 2013. Paulo Bernardo tem passagens pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Segundo o delegado, Antonio Carlos de Araújo, as investigações continuam visando identificar a possível participação de outra pessoa que tenha dado apoio a ação criminosa.

 

 

Assessoria/PJC-MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário