11/11/2014 - Bosaipo deve pedir aposentadoria e Fabris pode ir para o TCE

O conselheiro Humberto Bosaipo, atualmente afastado do Tribunal de Contas do Mato Grosso – TCE/MT – por crimes de peculato e lavagem de dinheiro, poderá pedir aposentadoria do cargo no final do ano. Para alguns parlamentares a expectativa é grande, já que a próxima escolha para o órgão fiscalizador partirá do Legislativo Estadual. Conforme apurou a reportagem, mesmo negando a articulação, o mais interessado em ir para o TCE, é o suplente de deputado Gilmar Fabris (PSD), que nesta eleição, novamente, conseguiu ficar somente na suplência para a Assembleia Legislativa. 

 

Outro nome que é ventilado para a vaga é do deputado estadual e novamente eleito, Zé Domingos Fragas (PSD). “O Tribunal tem que ter vaga, se não tem, não vai ninguém. É preciso primeiramente ligar para o Humberto e perguntar pra ele se ele irá se aposentar. Eu não tenho interesse aonde não existe vaga”, disse Fabris alegando ser amigo íntimo de Bosaibo que ainda não manifestou nenhum desejo de aposentadoria. 

 

Outra informação obtida pelo 24 Horas News foi que Bosaibo anunciou em uma festa de aniversário de comemoração de seus 60 anos na última terça-feira (4), que deixaria o cargo em breve. Humberto Bosaibo há tempos vem enfrentado imbróglio com a justiça e já está afastado há 3 anos do TCE. Provavelmente, este seria um dos motivos pelo qual ele opte pela aposentadoria, já que pela regra, um conselheiro deve se aposentar aos 70 anos – o que significa pouco tempo para o conselheiro afastado “desfrutar do cargo”. 

 

Atualmente a vaga de Bosaibo é ocupada pelo conselheiro substituto Luís Carlos Pereira. A reportagem tentou entrar em contato com Humberto Bosaibo, mas até o fechamento desta matéria ele não foi encontrado.

 

 

Fernanda Leite | Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário