11/12/2014 - Jornalista do SporTV chama nordeste de “aquela bosta”

“Aquela bosta do nordeste”, diz jornalista do SporTV. Petição pública pede que a Procuradoria Geral da República instaure um processo criminal e que o canal demita Eduardo Bueno

 
Na última quinta-feira (19), durante a exibição do programa “Extraordinários”, do canal a cabo SporTV, o jornalista Eduardo Bueno, ao falar sobre a região do nordeste, se referiu como “aquela bosta”. Uma petição online foi lançada para que a Procuradoria Geral da República instaure um processo criminal contra o profissional.
 

Ainda que, posteriormente ao comentário que criou um mal estar entre os presentes, visto que entre eles estava Xico Sá, que é nordestino, Bueno tenha justificado que foi uma brincadeira, o episódio tem repercutido negativamente na rede e Eduardo Bueno está sendo acusado de preconceito.

Na Petição Pública, que leva o título de “Mais uma agressão a nordestinos feita por Eduardo Bueno”, pede-se a demissão do jornalista. A nota diz que os cidadãos nordestinos ficaram “extremamente chocados” com as declarações feitas em rede nacional.

Jornalista que chamou o nordeste de “aquela bosta” se defendeu com arrogância e mais agressões, enquanto Maitê Proença disse que declaração era justificável

A emenda saiu pior do que soneto. Eduardo Bueno, (*) comentarista do programa “Extraordinários” do canal SporTV, das Organizações Globo, chamou o nordeste de “aquela bosta” durante um debate (veja aqui). Diante de protestos contra preconceito e estereótipos, ao invés de se desculpar, ele tentou “se defender” com arrogância e mais agressões, piorando a situação (assista aqui).

Disse que estava “cagando” para os internautas que protestaram, a quem chamou de “idiotas” e “bando de babacas”.

Quis dar “carteirada” de intelectual no telespectador, afirmando que para discutir com ele sobre o Nordeste era preciso ler os 15 livros de Câmara Cascudo que ele diz ter lido. Depois, quase balbuciando em meio à intervenções de outro comentarista que procurava colocar panos quentes, disse que estava era “brincando”, como se reforçar estereótipos, preconceitos e alimentar ódios fossem brincadeiras aceitáveis.

Para piorar, a apresentadora Maitê Proença (**) disse que “essa gente é de uma leviandade…” (referindo-se a quem se sentiu ofendido, sobretudo nordestinos, mas também todos os brasileiros que amam o Nordeste), e concluiu: “O cara tem que entender que o contexto desse programa permite esse tipo de coisa”.

Quer dizer que o contexto do programa permite chamar o Nordeste de “aquela bosta”, tranquilamente? E leviano é quem se sente ofendido? E quem é chamado de “bosta” é que deveria pedir desculpas ao programa da poderosa TV GloboSat?

É por isso que é difícil assistir qualquer canal que seja das Organizações Globo. Nem jogo da Copa. Só contratam e só convidam quem detona o Brasil, o Nordeste, o povo brasileiro, nossa cultura, nossa gente. Chique, para eles, é Nova York, Milão, Paris, etc.

E os patrocinadores? Quando um executivo da Philips destratou o Piauí durante o movimento “Cansei”, houve um boicote geral, com ninguém comprando produtos da empresa. Será que a Claro, o Itaú, o McDonalds, a Ipiranga, a Kia e Budweiser (mesmo fabricante da Skol, Brahma e Antartica) querem ir pelo mesmo caminho?

 

Redação Pragmatismo

 

Comentários

Data: 11/12/2014

De: PATRÃO

Assunto: que feio...

Vanessa, assim vc mata a gente de vergonha !
Essa noticia é velha pra cacete.
A ultima quinta-feira não foi dia 19.
É o que dá copiar noticias dos outros sites...
Essa noticia tem pelo menos uns 3 meses já...

Novo comentário