12/01/2016 - Morre o colunista e ícone do carnaval cuiabano Jejé de Oyá

12/01/2016 - Morre o colunista e ícone do carnaval cuiabano Jejé de Oyá

 

Faleceu na manhã desta segunda-feira (11) o colunista José Jacinto Siqueira de Arruda, conhecido como Jejé de Oya. Ícone do carnaval cuiabano e do colunismo social, Jejé estava há algum tempo vivendo numa clínica geriátrica no bairro Boa Esperança e passava por dificuldades financeiras. 

Segundo Francisco Faiad, Jejé faleceu por volta das 9h da manhã e ainda não há informações sobre o velório e enterro. O colunista teve uma parada respiratória e morreu a caminho do hospital. 


Morre o colunista e ícone do carnaval cuiabano Jejé de Oyá

Um dos primeiros a se assumir homossexual em Cuiabá, negro, Jejé nasceu pobre e foi adotado porque sua mãe era doente mental e não tinha condições de cuidar dele. Irreverente, enfrentou a sociedade conservadora desde o início da vida, quando ao terminar os estudos em um Colégio Salesiano vestiu a batina do padre para rezar uma missa em latim - e quase terminou expulso. 

Por desafiar os padrões e conhecer todos os ‘segredos’ da cuiabania, 
Jejé ficou conhecido e se tornou um dos maiores colunistas sociais da cidade a partir da década de 60. Antes, sob o pseudônimo de ‘Dino Danuza’, e depois assumindo a identidade, o ícone não tinha papas na língua, que puxava o cuiabanês ao pedir um pêtche com matchitche. Apesar de ter nascido em Rosário Oeste, Jejé era de tchapa e cruz. 

Os colunistas sociais da atualidade se inspiravam em sua coragem. Para Valdomiro Arruda, colunista social do 
Diário de Cuiabá, Jejé é “um ícone do colunismo social, e tanto eu quanto outros colunistas nos espelhamos nele. Ele desafiava a sociedade e a gente herdou algumas de suas tiradas que usava em seu trabalho. Todos têm um pouco de Jejé”, afirmou em entrevista ao Olhar Conceito. “Foi uma grande perda para o colunismo e para Cuiabá”. 

 

 

Da Redação - Isabela Mercuri

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário