12/05/2016 - Sem RGA, servidor decide greve geral nesta quinta

12/05/2016 - Sem RGA, servidor decide greve geral nesta quinta

Cerca de 5 mil servidores públicos de Mato Grosso inconformados com a decisão do governador Pedro Taques (PSDB) de não pagar a Revisão Anual Geral (RGA) neste ano, participam do protesto na tarde desta terça-feira (10) na Praça das Bandeiras, em Cuiabá. A ameaça do secretário de Planejamento, Marco Aurélio Marrafon, de cortar o ponto de quem comparesse ao ato, não intimidou os participantes. As categorias presentes no protesto já sinalizam pela deflagração de greve. Ouça discurso de uma participante

O sindicalista Cledison Gonçalves da Silva, presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso , participa do protesto e relatou ao Gazeta Digital que a categoria não vai se intimidar com a ameça de corte de pontos. Cledison avalia que Pedro Taques "é o pior governador da história de Mato Grosso". 

A ideia dos servidores é pressionar os parlamentares sobre quais ações pretendem tomar para cobrar que o governador Pedro Taques para que conceda o reajuste salarial, beneficio garantido pela Constituição Federal aos funcionáriosOs participantes do ato utilizam carro de som e vão caminhar a Praça das Bandeiras até a Assembleia Legislativa onde pretendem cobrar os 24 deputados estaduais para se posicionarem sobre assunto.

Depois de saírem em caminhada, os manifestantes pararam em frente ao Palácio Paiaguás, sedo governo do Estado. Pararam em frente à janela do governador e gritam que querem o RGA. Também gritam que "não vai ter calote". Ouça o áudio.

O indicativo de greve inevitável, hoje são dois mil e quatrocentos servidores, delegados vão fazer assembleia , os escrivães também irão realizar assembleia. A crise vem desde a época do ex-governador, hoje, senador Blairo Maggi (PR).

"O pior governo para os servidores públicos, o Silval mesmo com a roubalheira concedeu os direitos dos servidores", Cledison Oliveira, do Sindicato dos Trabalhadores da Polícia Civil de Mato Grosso (Siagespoc).

Aos gritos na Assembleia Legislativa, os servidores pediam a presença do deputado e líder do governo que não pareceu para falar com os servidores.

Deputados buscam intermediar com governo

E quinta-feira (12) ele volta a se reunir com os representantes dos sindicatos para discutir a resposta do governador. Maluf disse que não sabe se haverá reunião, pois, tudo dependerá  da agenda do governador.Após a reunião com os representantes dos servidores, o presidente Guilherme Maluf afirmou que nesta quarta-feira (11) irá se reunir com a equipe econômica do Governo do Estado, para saber como está o caixa do Estado.

"Haverá reunião quinta-feira com o Fórum Sindical, independete de agenda do Taques. Acabando a sessão vou ao palácio conversar com ele e repassar aos servidores", disse Maluf.

Deputada sobe em carro de som

Deputada Janaina Riva (PMDB), critica governo por gastar dinheiro com comitiva de viagem, criticou corrupção na Secretaria de Educação e gastos em torno de R$ 70 milhões com mídia para propaganda do governo.

"Vocês me desculpem esse golpe foi avisado quando vocês renunciaram a parcelar o direito de 2015. A renuncia parcial fez com que o estado se vê no direito de tirar o direito total.

"Não tem problema , hoje estamos aqui para debater este tema, RGA. Ninguém está dando a ninguém o que não é de direito. Não existe reajuste salarial, é reposição salarial. Querem 'vender' para a população que é aumento de salários para que povo fique contra os servidores. O feijão subiu, a escola subiu a parcela do carro subiu. Não tem dinheiro, mas tem para ser surrupiado da educação, pra fazer passeio em comitiva ou gastar em mídia".

Janaina destaca que o Estado poderia estar arrecadando mais, caso, houvesse investimento nos servidores públicos. Ela citou conhecer a realidade dos agentes carcerários porque nas visitas ao seu pai no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), o ex-presidente da Assembleia Legislativa José Riva, conheceu de perto o trabalho dos servidores penitenciários.

Ela lembrou também o caso da terceirização do Detran, onde o chefe da Casa Civil, Paulo Taques, criticou a equipe da deputada por não conhecer a constituição como o governador, que é ex-procurador da República. " Conhece tanto que perderam na justiça. Me chamou de oportunista e a justiça provou ao contrário".
 

 

Fernanda Leite e Welington Sabino, redação GD

 
 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário