12/05/2016 - Pecuarista é preso por matar onças e alugar fazenda para caça em MT

12/05/2016 - Pecuarista é preso por matar onças e alugar fazenda para caça em MT

Um pecuarista de 59 anos foi preso nesta terça-feira (10) suspeito de praticar caça ilegal de onças-pintadas na fazenda dele, na região de Alta Floresta, a 800 km de Cuiabá. A denúncia do crime ambiental chegou para a Polícia Federal em janeiro deste ano. Apesar de ser preso, o pecuarista foi liberado após pagar uma fiança. A PF não disse qual foi o valor pago na fiança.

Segundo a Polícia Federal, o pecuarista, além de caçar os animais e abatê-los, pagava recompensas para que outras pessoas matassem as onças e até 'alugava' a fazenda para que terceiros praticassem a caça.

“Ele disse que realmente caçava as onças, mas isso, segundo o suspeito, ocorria antigamente. Explicou que matava as onças porque elas estavam comendo o gado dele, mas afirmou que não caça há anos. As denúncias e fotos são recentes, o que contradiz o que ele disse em depoimento”, explicou ao G1 o delegado federal Samir Zugaibe.

O inquérito policial foi aberto pela Polícia Federal de Sinop, a 503 km de Cuiabá e a Justiça Federal, com base nas informações da investigação, expediu dois mandados de busca e apreensão na propriedade do pecuarista.

“Ele fazia a caça de onças-pintadas e arrendava as terras [da fazenda] para que terceiros também fizessem a caça. Ele acabou preso em flagrante por porte ilegal de arma. Das quatro armas encontradas com ele, duas estavam sem registro e outras duas com registros vencidos”, disse o delegado.

Ca�a ilegal de on�as-pintadas ocorria em fazenda na regi�o de Alta Floresta (Foto: Divulga��o/Pol�cia Federal de MT)

Conforme o delegado, o pecuarista não comentou quantas onças teria matado ao longo dos anos em que praticou a caça ilegal. Ele também não revelou o que fazia com os animais após o abate. Na fazenda dele os policiais encontraram uma espingarda calibre 20, um rifle calibre 22, um revólver 38 e uma pistola calibre 380.

De acordo com Zugaibe, o pecuarista vai responder por posse ilegal de arma de fogo e também crime contra a fauna, com agravante que se trata de um animal silvestre ameaçado de extinção.

 

 

G1/MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário