12/08/2014 - Serys contraria PTB, apoia Rui Prado ao Senado e revive história política

A decisão da ex-senadora Serys Marly (PTB) de declarar apoio ao ex-presidente da Famato, Rui Prado (PSD), na disputa pela única vaga no Senado nas eleições deste ano expôs o clima de desentendimento criado na sigla petebista após dos diálogos que definiram os nomes que atualmente compõem a chapa majoritária da coligação Coragem e Atitude pra Mudar (PDT, PP, DEM, PSDB, PSB, PPS, PV, PTB, PSDC, PSC, PRP, PSL e PRB), do candidato a governador Pedro Taques (PDT). Além disso, também a fez viver sua história política.

 

Na última semana, quase que paralelamente ao anúncio de Serys sobre o apoio ao social-democrata, o presidente do PTB em Mato Grosso, ex-prefeito de Cuiabá, Chico Galindo, afirmou que fez de tudo para contemplar a correligionária com algum cargo na majoritária depois que o nome de Jayme Campos (DEM) foi confirmado à reeleição. “Oferecemos a primeira suplência para ela, a vaga de deputada federal e vários cargos, que, por opção dela, única e exclusivamente dela, não aconteceu”, disse.

 

Galindo ainda lamentou o fato de a ex-senadora não acompanhar a legenda no apoio ao bloco da oposição, cujo atual candidato à senatoria é o vice-prefeito de Rondonópolis, Rogério Salles (PSDB) e que tem como primeiro suplente o empresário Donizette da Castrillon (PTB). “O que nos deixa tristes é que Serys é um grande nome. Eu a chamo de pérola que está no PTB, mas política é assim. Ganha-se uma, perde-se outra e bola pra frente”, sintetizou o ex-prefeito.

 

Em carta pública divulgada na última semana, Serys Marly teceu críticas aos companheiros do PTB . Ela chegou a dizer que fez escolha errada ao decidir a sigla petebista para se filiar, após ter deixado o PT, em 2012. “Enganei-me. Infelizmente servi apenas a interesses pouco republicanos de alguns poucos “donos” do PTB. Que respondam pelo resultado das urnas”, declarou no documento.

 

Trajetória

Há quatro anos, Serys foi deixada de lado depois de disputar internamente a candidatura ao Senado com o então deputado federal Carlos Abicalil. Preterida pelo PT, aceitou concorrer à deputada federal, mas não teve sucesso. Em 2012, após uma série de desgastes internos, abandonou o PT e declarou apoio à candidatura do atual prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB). Meses depois, acabou anunciando a filiação ao PTB.

 

 

Thaisa Pimpão

 

Comentários

Data: 12/08/2014

De: jaozin

Assunto: nui

seria motivo de preocupação não fosse o desprezo. Digo isso porque a serys foi expulsa do PT e agora quis entrar por cima na coligação de Taques. Coitado do Rui se soubesse que o apoio dela não vale meia dúzia de votos.

Novo comentário