12/08/2014 - Taques usa promessa não cumprida por Mauro Mendes; construção de hospital em Cuiabá

A população cuiabana irá ouvir novamente nas propagandas eleitorais deste ano, mais um candidato pregando a promessa de construção de um novo hospital público na Capital. Trata-se do candidato ao Governo, senador Pedro Taques (PDT), que propõe construir um hospital Estadual de referência.


Porém, o pedetista não fala em prazo para entrega da “obra prometida”. Ao contrário de um dos seus maiores apoiadores de campanha, prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB), que em 2012, usou da mesma promessa, onde a obra do novo hospital seria iniciada em seu primeiro ano de administração, e até hoje, ninguém mais ouviu o prefeito comentar sobre o assunto, considerado um dos maiores anseios da população.

 

Na época, Mendes havia citado até mesmo o valor da obra, que sairia ao custo de R$ 40 milhões – sendo que R$ 20 milhões seriam da venda da Sanecap e o restante seria oriundos de recursos do Governo Federal.


Taques dispara dizendo que o Estado está virando as costas para Cuiabá e Várzea Grande. “Um hospital público na Capital é importante para atender a população da baixada e também do interior que busca referência aqui", analisa o candidato.


Ainda, caso eleito, seu governo irá mudar a realidade da saúde no estado. Entre seus compromissos para a área está a descentralização do atendimento de serviço de alta e média complexidade. Para isso, irá fazer os hospitais regionais funcionarem de forma mais eficiente e implantar novas unidades pelo interior, de acordo com a necessidade de cada região.


Só que o discurso do candidato é reverso, já que seu vice, Carlos Fávaro, faz parte do mesmo partido que administrou a saúde pública no Estado, desde o inicio da gestão do governador Silval Barbosa (PMDB), onde até mesmo o ex-deputado federal Pedro Henry (PP), preso por envolvimento no escândalo do Mensalão, geriu a saúde pouco mais de um ano. Henry foi um dos articuladores para implantação das Organizações Sociais de Saúde – OSS no Estado – gerenciamento este, que não resolveu em nada as deficiências na área. Somente milhões foram gastos e a população continua morrendo por falta de atendimento digno.


Sobre a questão do novo P.S em Cuiabá, ainda não foram apresentados nem mesmo projetos sobre a obra, mas, estranhamente, o prefeito falou em seu discurso todos os custos do novo hospital.

 

 

 

Fernanda Leite/ Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário