12/08/2015 - Decisão judicial não afeta greve do INSS no Estado

Decisão judicial determina o retorno de 60% das atividades dos servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em greve desde o dia 06 de julho, a determinação, proferida nessa segunda-feira (10), é que os funcionários das superintendências, gerências e agências de decisões judiciais (ADJ) voltem ao trabalho. 
A mobilização nacional atinge todas as 37 agências da autarquia no Estado. Somente as perícias médicas agendadas continuam sendo realizadas. 

Para o presidente do Sindicado dos Trabalhadores em Saúde, Seguridade, Trabalho e Previdência Social (Sindsprev-MT), Cleones Celestino Batista, a sentença não enfraquece o movimento, uma vez que a paralisação está concentrada nas agências de atendimento ao público. 

"O Governo pediu que retornasse 90% dos servidores, sendo eles os servidores das superintendências, gerências e Agências de Decisões Judiciais (ADJ), mas a decisão não nós atingiu, porque ela não inclui as agências de atendimento". A deliberação deverá ser publicada no próximo dia 13. 

O governo Federal ajuizou, por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), no dia 5 de agosto, a ação solicitando ao Poder Judiciário a determinação que garanta o atendimento em todas as suas unidades, com o intuito de minimizar os impactos negativos da paralisação de servidores do INSS.

Cleones avalia que a decisão acabou sendo favorável ao movimento. "Por ela não enfraquecer a greve, a tendência agora é que o Governo negocie ao invés de querer ganhar no grito".

Os grevistas realizarão nesta terça (10) e quarta-feira (12) um ato em Brasília. Os protestos ficarão concentrados em frente ao INSS, Ministério do Planejamento e Congresso Nacional.

Em Mato Grosso, os grevistas reclamam da falta de pessoal para atender a demanda - atualmente o Estado possui 800 trabalhadores. A categoria também pede reajuste salarial de 27% e melhorias nas estruturas das agências. 

 

Priscilla Silva, repórter do GD
 

Comentários

Data: 19/08/2015

De: Jadir da Silva

Assunto: Bloqueio de Benefício

Em janeiro enviei termo de Curatela
Definitivo , do Benefício que recebo para meu sobrinho acredito que não foi registrado no Sistema da Previdência; enviei em tempo hábil para ser registrado ,no entanto desde 29 de julho o
mesmo está sem
recedbimento do benefício fato esse que já ocorreu outras vezes.Eles estão fazendo vária reivindicações mas as melhorias dos serviços oferecidos ainda estão longe de ser eficaz.Aqui vai o meu desaqbafo

Novo comentário