12/08/2015 - Estrelismo e superficialidade de Barbosa decepcionam na Exposul

Para quem compareceu na abertura da Vitrine Agropec, nesta segunda-feira (10), 'inovação' do Sindicato Rural para tentar incrementar as discussões entre o setor político e rural da região, notou que a primeiro momento a iniciativa não deu muito certo. A palestra de abertura, dada pelo ex-ministro do Supremo Tribunal Federal - STF, Joaquim Barbosa, foi decepcionante no quesito conteúdo e performance do contratado.

Apesar de um vasto curriculo e uma formação invejável, o homem que é reconhecido pela população como um dos combatentes da corrupção, tido por alguns até como herói, mostrou que assumiu o pijama do comodismo e só discursou no campo da superficialidade. Para quem esperava frases inflamadas, viu um teórico abusando do didatismo para explicar como funciona a política brasileira em sua maneira mais simples.

Barbosa, por exemplo, usou preciosos minutos de sua fala para bater em cima da tecla de que é necessário para o presidente da república ter 'maioria' de apoio na Câmara e que o STF serve para garantir a proteção das leis brasileiras, coisas que já permeiam no conhecimento popular.

Por fim, a coisa melhorou um pouquinho quando o cerimonialista levou a Barbosa algumas questões do público, tendo como algumas perguntas o porquê do palestrante ter abandonado as funções no STF; se ele quer ser presidente da república e se acredita que Dilma Rousseff pode sofrer um impeachment. Liso como um quiabo, ele escorregou pelas respostas e não se viu nenhuma crítica mais ácida do ex-homem da capa preta.

A decepção maior, no entanto, ficou para a conduta pessoal de Barbosa. Ele não tirou sequer uma foto com ninguém, apesar de vários pedidos. Solicitou a presença de cinco policiais que o cercavam enquanto percorria o salão, impedindo o acesso de qualquer 'mortal' e não atendeu a imprensa, que ficou lhe aguardando em sua saída. Para alguns jornalistas, a atitude mostrou que quando ele mandou um jornalista 'chafurdar' no lixo, em Brasília, não era mero acaso e sim sua posição sobre os meios de comunicação. Antes de sair do palco, Barbosa ainda citou em uma de suas últimas falas o 'quão difícil' era chegar em Rondonópolis.

O vice-prefeito Rogério Salles, que assistiu a palestra, fez uma análise sobre as palavras ditas por Barbosa. "Se eu fosse um estudante de direito de repente tinha gostado", alfinetou.

 

Gazeta - MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário